O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva está confiante de que irá assumir a Casa Civil, ainda na próxima semana. O petista esteve em um ato organizado pelo partido, juntamente com centrais sindicais, na cidade de Fortaleza. Lula revelou que espera assumir o cargo de Ministro já na próxima quinta-feira (07) se tudo der certo e, claro, se a Suprema Corte aprovar.

Dilma nomeou Lula para ser seu ministro, mas a decisão da presidente foi barrada por uma liminar de Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal. Para o ministro do STF, essa nomeação foi uma forma de atrapalhar as investigações da Lava Jato, já que o ex-presidente é um dos alvos da operação.

Publicidade
Publicidade

A partir do momento que Lula se tornar Ministro da Casa Civil, ele deixará de ser investigado pela Justiça Federal do Paraná e, a partir daí, somente o STF é que poderá cuidar de sua investigação. Esta decisão de Gilmar Mendes está valendo só até o momento em que for julgada pelo plenário do Supremo.

Os grampos telefônicos de Dilma Rousseff e Lula, autorizados pelo Juiz Sérgio Moro, também serão avaliadas pelo Supremo Tribunal Federal, só que esta decisão em nada irá interferir na posse de Lula como ministro.

Lula continua com o discurso de que Dilma não cometeu nenhum tipo de crime de responsabilidade e, por isso, o #Impeachment seria um golpe. "Ninguém é contra o impeachment que está na constituição, mas tem que ter base legal, tem que ter crime de responsabilidade", disse o petista em seu discurso.

Publicidade

Uma grande multidão se reuniu na Praça do Ferreira, localizada bem no centro de Fortaleza, e ficaram aguardando o pronunciamento de Lula. A chuva não afastou os simpatizantes do PT que gritavam palavras de ordem, entre elas: "Lula, me liga, me chama de querida".

Neste domingo (02), Lula é esperado em Salvador e já no meio da semana ele deverá ir para Brasília esperar a decisão final, pois segue confiante que antes do próximo final de semana já terá assumido o cargo de Ministro no governo de Dilma Rousseff, mas a oposição não acredita que o ex-presidente conseguirá permissão para assumir o cargo. #Crise no Brasil