O ex-presidente Lula e vários integrantes do seu partido, #PT, estiveram presentes nesta segunda-feira, dia 25, no Seminário Internacional de Aliança Progressista, que reuniu lideranças políticas da esquerda de diversos países. Tanto o antecessor de Dilma, quanto o atual presidente do PT, Rui Falcão, aproveitaram a ocasião para tecer críticas severas ao processo de #Impeachment e reforçar as acusações de golpe impostas pelo próprio vice, Michel Temer, a quem chamam de traidor e de chefiar todo o processo.

Lula declarou que vai ter muita luta, se pensam em acabar com o PT

Figura central do evento, Luís Inácio Lula da Silva declarou em seus discursos, elaborados especialmente para a ocasião, que o Brasil ainda vai viver dias de muitas lutas. 

O ex-presidente saiu em defesa aberta de Dilma, no qual afirmou que a presidente está sendo submetida a um verdadeiro ' pelotão de fuzilamento', preparado por aqueles que querem vê-la fora do poder.

Publicidade
Publicidade

O petista falou em dias de muitos combates no campo democrático.

Ao criticar os que querem o 'golpe', Lula disse que seu partido é o alvo preferido tanto da mídia quanto da oposição. Ele aproveitou e mandou um recado direto para seus opositores: " Eles que se preparem, se pensam que vão destruir o PT".

Rui Falcão assume discurso e diz que Temer é o principal traidor de Dilma e comandante do golpe

Depois de Lula, quem assumiu a tribuna para discursar foi Rui Falcão, atual presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT). Ele aproveitou a abertura do evento e adotou a mesma estratégia de Dilma, em seus discursos na ONU, quando denunciou o ' golpe' em curso no país.

O dirigente seguiu Lula na defesa da presidente ao afirmar que Dilma não cometeu crime algum. Ele aproveitou o discurso para acusar Eduardo Cunha (PMDB-RJ): " Não pesa contra ela qualquer denúncia de corrupção ou de recebimento de propina.

Publicidade

Ao contrário de seu principal algoz, o presidente da Câmara, que conduziu a primeira fase do processo, o deputado Eduardo Cunha, réu no Supremo Tribunal Federal, pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de bens e evasão de divisas".

O presidente do PT acusou publicamente Temer de traição e de liderar a tentativa de 'golpe' contra o governo

Rui Falcão bastante enfático ao acusar o vice, Michel Temer de chefiar a manobra que tenta afastar Dilma da Presidência. O atual dirigente chamou o atual companheiro de Dilma de traidor, ao tramar de modo bastante explícito contra a presidente. 

O petista afirmou que Temer, mesmo enfrentando um dos mais baixos índices de popularidade (1% nas urnas) e o maior patamar de rejeição (80%), já se prepara para pôr em prática um programa de #Governo que irá ressuscitar as privatizações e entregar o país ao capital estrangeiro, além de suprimir direitos civis e sociais já adquiridos.