#Lula: o homem mais falado e talvez, mais odiado do momento por anônimos, celebridades e políticos continua dando o que falar. Após ser denunciado por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica pelo MP-SP, ter um pedido de prisão preventiva em andamento e conversas reveladoras divulgadas pela PF através de grampos telefônicos, Lula volta a virar assunto.

Com o impeachment quase certo de Dilma, Lula surgiu no final de semana afirmando durante discurso, que ‘se tudo der certo’ até quinta deve tomar posse como ministro da casa civil. Sua nomeação foi suspensa quatro vezes, sendo a primeira poucos minutos após a cerimônia de posse.

Publicidade
Publicidade

O ministro do STF, Gilmar Mendes, por sua vez, acha pouco provável que o processo de Lula seja definido essa semana.

Durante discurso feito no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo, cidade onde o petista mora, afirmou que os ‘conservadores’ ficam ‘horrorizados’ com a sua volta em 2018 e ainda enalteceu a ‘revolução social’ que o PT supostamente realizou no país.

O petista também falou sobre o #Impeachment de Dilma e mostrou-se tranquilo sobre o caso, pois disse que a presidente não cometeu nenhum crime, logo, não pode sofrer o impeachment, entretanto, os juristas que discutem o impeachment desde a semana passada fizeram graves acusações muito bem fundamentadas sobre algumas condutas da presidente. A votação ainda não aconteceu. Inicialmente estava marcada para 14 de abril, mas como Eduardo Cunha sugeriu que a mesma ocorresse em um domingo, a nova data ainda não foi anunciada.

Publicidade

Ressentimentos por causa de Michel

Lula não deixou de esbravejar seu repúdio ao vice presidente da república, Michel Temer. O petista mandou um ‘recado’ para Temer, alegando que se ele quiser ser presidente da república, precisa disputar as eleições.

Vale ressaltar que Michel foi eleito pelos petistas junto com Dilma a partir do momento que ela foi ‘eleita’. Com apuração guardada a sete chaves até que mais de 80% das urnas estivessem contabilizadas, o ‘resultado’ não elegeu apenas a quase ex-presidente da república, mas também Temer, logo, independente de possíveis impedimentos que venham a surgir no futuro, o político está legitimado e amparado pela CF para assumir o cargo se Dilma sair.

Denúncias graves

Na sexta-feira passada, 1, o deputado Onyx Lorenzoni do Democratas do Rio Grande do Sul (DEM-RS), afirmou que o governo estaria investindo milhões de reais provenientes dos cofres públicos para pagar manifestações e financiar projetos milionários de artistas que apoiam o governo. Também revelou a ‘tática nazista’ usada pelo partido e chamou o governo de Dilma de ‘quadrilheiro’. #Corrupção