Na última quarta-feira, 6 de abril, o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva se pronunciou  através de seu perfil oficial no Facebook para demonstrar novamente seu apoio à presidente e companheira de partido, #Dilma Rousseff.

Dando destaque à frase “Faça democracia, não faça golpe”, em uma adaptação da frase “Faça amor, não faça guerra”. Lula ainda destacou que não haveria justificativa para o #Impeachment de Dilma e, por esta raZão, manifestações e atos estão sendo realizados por aqueles que pedem “respeito aos 54 milhões de votos conquistados pela presidenta Dilma”. 

‪#‎FaçaDemocraciaNãoFaçaGolpe 

Ao que tudo indica, a nova frase de Lula pode se tornar uma hashtag e até mesmo uma nova campanha online, e em breve poderemos acompanhar um número crescente de pessoas divulgando o novo lema petista “Faça democracia, não faça golpe” nas redes sociais. 

APOIO E CRÍTICAS 

A publicação de Lula conquistou mais de 11 mil reações na rede social.

Publicidade
Publicidade

Foram por volta de 10 mil curtidas; 357 “amei”; 49 “haha”; 44 “grr”; 12 “uau” e 2 “triste”. Além disso, foram mais de 2 mil compartilhamentos e mais de 800 comentários. 

Como se trata da página pessoal do ex-presidente, grande parte das pessoas demonstraram concordar com Lula. Em meio a elogios e ao discurso “não vai ter golpe”, internautas deixaram claro o apoio à Dilma, a Lula e ao PT. Também há um grande número de pessoas que aproveitaram para criticar jornais, revistas e emissoras de televisão, afirmando que haveria uma espécie de “complô” para tirar o PT do governo. 

Mas se engana quem acha que só apoiadores se manifestaram. Também é grande o número de pessoas que se se dizem insatisfeitas com o atual governo, e aproveitaram a postagem para deixar isso registrado. 

Quem defende a saída de Dilma, aproveitou também para deixar registrado o apoio à Polícia Federal, ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato

POLARIZAÇÃO

Não há dúvidas de que o Brasil encontra-se dividido.

Publicidade

Nas redes sociais, nas ruas, nos locais de trabalho, nas escolas, nos bares, e em praticamente todos os lugares, brasileiros opinam e deixam claras suas opiniões a respeito do governo federal. 

Enquanto milhares se reúnem a fim de pedir a renúncia da presidente Dilma, outros milhares se mobilizam para demonstrar apoio. Em meio a tudo isso, a chefe de estado enfrenta um processo de impeachment, que investiga se ela cometeu ou não irregularidades fiscais.