Militantes e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT) cercaram o condomínio do deputado Jair Bolsonaro (PSC) na tarde deste domingo (24). As informações foram publicadas pelo deputado em sua conta pessoal do Facebook. A manifestação aconteceu na zona Oeste do Rio de Janeiro e contou com a participação de cerca de cem pessoas.

De acordo com os manifestantes o motivo do motim foi devido ao voto a favor do impeachment. Além disso o deputado justificou seu voto "Sim", a favor do impeachment de Dilma Rousseff, homenageando o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. A manifestação seguiu pela orla do da Barra da Tijuca, no RJ.

Publicidade
Publicidade

Os manifestantes seguiram chamando o deputado de "Bolsomonstro". Um dos homens estava fantasiado de Adolf Hitler, associando Bolsonaro ao ditador nazista alemão.

Em sua página oficial do Facebook Bolsonaro escreveu: "Minha propriedade privada é sagrada. Se um dia invadirem, não sairão". Os manifestantes saíram do local por volta do meio-dia.

Jair Bolsonaro fez uma publicação no Facebook que falava de uma nota enviada a Globo News. 

"Estava em minha rsidência nessa manhã quando uns cem desocupados com bandeiras vermelhas fecharam a entrada do meu condomínio.

Diante de tantas ameaças mandei-lhes o seguinte recado:

1 - Se invadirem, não sairão;

2 - Minha propriedade privada é sagrada;

3 - Minha esposa e filhos de 13 e 5 anos nunca serão reféns de vocês;

4 - Por isso o #PT desarmou o povo brasileiro;

Jair Bolsonaro - Capitão - R1 - Artilharia - Deputado Federal - PSC - RJ"

Após a publicação nas redes sociais o deputado recebeu comentários pró e contra ao seu posicionamento e ao dos manifestantes.

Publicidade

"Bando de oportunistas! Estudar, trabalhar e se inserir no mercado de trabalho ninguém quer! Por isso a mão de obra brasileira é sucateada. Os "programas sociais" do PT incentivam essa baderna e a vagabundagem em vez de incentivar e proporcionar uma educação e formação de qualidade para o povo!", disse uma das internautas.

O post gerou milhares de compartilhamentos. Vídeos da manifestação também foram publicados  na página. #Governo