O juiz federal Sérgio Moro voltou a citar o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, nesta sexta-feira (1º), em um despacho realizado na Operação #Lava Jato. Nesta nova fase da Operação, chamada de "Carbono 14", Moro colheu vários depoimentos em que os envolvidos comentam do ex-presidente Lula, em relação a corrupções e extorsões. Em uma tentativa de firmar um acordo de delação premiada, em 2012 no processo do mensalão, Marcos Valério de Souza, disse que Lula foi vítima de chantagem pelo dono do jornal "Diário do Grande ABC", Ronan Maria Pinto. Marcos Valério também afirmou, que o pecuarista José Carlos Bumlai, foi destinado a intermediar um empréstimo, que teria como beneficiário, o empresário Ronan.

Publicidade
Publicidade

Nesta sexta (01), Ronan foi preso na Operação Lava Jato "Carbono 14". Sérgio Moro também mencionou Lula em outro momento no despacho. Segundo Moro, o delator Salim Schahim disse que Bumlai tinha uma negociação da sua empreiteira "Schahim" com a Petrobrás, e essa negociação era "abençoada" por Lula.

Nova fase "Carbono 14"

Esta nova fase da Operação Lava Jato está muito próxima de descobrir evidências que motivaram a morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, que ocorreu em 2002. Jose Carlos Bumlai confessou ter repassado "dinheiro sujo" ao dono do jornal "Diário do Grande ABC". O empresário Ronan, teria pedido uma quantia de R$ 6 milhões para não contar detalhes sobre o caixa dois do PT e a relação com a morte de Celso Daniel. Pinto diz desconhecer Bumlai, após saber das investigações.

Publicidade

Segundo investigação da Lava Jato, os empréstimos envolvendo Bumlai e Pinto tem a ver com desvios da Petrobrás. Outro detalhe importante, é que Ronan Pinto vivia chantageando Lula e o ex-chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, com informações que ligariam o Partido dos Trabalhadores com o assassinato de Celso Daniel.

Celso Daniel

O ex-prefeito de Santo Andre, Celso Daniel, que foi assassinado em 2002, era coordenador da campanha de Lula e esquemas de irregularidades na prefeitura poderiam impactar a campanha do ex-presidente Lula. #Corrupção