Começou nesta terça-feira (01), a 27º etapa da Operação Lava-Jato, chamada de operação Carbono 14, em que o alvo das investigações é um empréstimo oferecido pelo Banco Schahin, que supostamente seria usado para quitar as dívidas do PT (Partidos dos Trabalhadores).

Com essa nova etapa de investigações, vem à tona o famoso caso Celso Daniel, ex-prefeito do PT, na cidade de Santo André, no ABC Paulista, que foi assassinado em 2002. Nesta fase já foram presos o empresário Ronan Maria Pinto, dono do jornal "Diário do Grande ABC", e o ex-secretário-geral Silvio Pereira (PT), conhecido também por Silvinho, que foi réu do escândalo de #Corrupção no processo do mensalão, porém, realizou acordo com a justiça para não responder ao processo.

Publicidade
Publicidade

O empresário e o ex-secretário estão presos temporariamente devido aos escândalos dessa nova fase da operação. Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, no qual já foi condenado por seis anos e oito meses por corrupção ativa e o jornalista Breno Altman, também estão envolvidos nos crimes investigados.

No total foram 12 mandados de prisão realizados pela #Polícia Federal, nas empresas "Expresso Santo André", "Diário do Grande ABC" e "DNP Eventos". Corrupção ativa, extorsão, falsidade ideológica, fraude e lavagem de dinheiro são alguns dos crimes apurados. Os julgados estarão indo para Curitiba, na Superintendência da Policia Federal, prestarem depoimento.O nome Carbono 14 foi escolhido pelo fato de ser uma operação que busca antigos esclarecimentos de casos que não foram resolvidos.

Investigações

O Ministério Público Federal esclareceu que o amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, José Carlos Bumlai, fez um empréstimo pelo Banco Schahin de 12 milhões de reais para pagar a dívida do partido PT, e desse valor, 6 milhões foram para o empresário Ronan Maria Pinto, com isso houve um esquema de lavagem de dinheiro envolvendo outras pessoas.

Publicidade

Bumlai confirmou também, que o valor foi pedido por Delúbio Soares, e que julga ser para uma campanha eleitoral em Campinas, interior de SP, e para o "caixa 2" do Partido dos Trabalhadores.  #Lava Jato