Serenidade e responsabilidade. Pautado por essas duas virtudes que diz ter, Antonio Anastasia (#PSDB-MG) promete conduzir de forma honrosa o cargo de relator do processo de #Impeachment da presidente Dilma Rousseff no #Senado Federal. Ele foi alçado a essa função nesta terça-feira, dia 26, após uma polêmica sessão no Senado. A presidência da Comissão Especial será de Raimundo Lira (PMDB-PB).

Os senadores da base governista criticaram a escolha de Anastasia para o posto, já que, segundo eles, o tucano não teria a isenção necessária para lidar com um processo da natureza. Lindbergh Farias (PT-RJ) se mostrou "inconformado" com a decisão e destacou a relação afinada entre Antonio Anastasia e Aécio Neves, candidato derrotado por Dilma Rousseff nas eleições de 2014.

Publicidade
Publicidade

Anastasia assim resumiu o seu sentimento após ser escolhido para a relatoria:

"Quero agradecer a confiança dos meus pares do Senado Federal para o exercício desse cargo de relator. Ouso em parafrasear o ex-presidente da República Juscelino Kubitschek para salientar que Deus me concedeu o dom da serenidade. Com a seriedade e a responsabilidade que me pautam, de maneira democrática reitero minha missão como relator", disse Anastasia.

Já formada, a Comissão Especial caminhará para dar andamento ao processo. Os autores do pedido de impeachment e a defesa da denunciada deverão ser ouvidos. O relatório provavelmente será votado no dia 9 de maio, enquanto a matéria só deve ir a plenário no dia 12.