Questionado pela imprensa sobre a possibilidade da antecipação das eleições presidenciais de 2018, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), se mostrou favorável e aberto à proposta. A ideia seria formatar um processo de eleições gerais, que incluiria também a eleição para a presidência da Câmara e do Senado. 

A pauta surgiu a partir de uma ideia sugerida na tribuna do Senado na segunda-feira (4) pelo senador Valdir Raupp (PMDB - RO). Em sua fala, ele sugeriu que as eleições gerais fossem realizadas ainda esse ano, em outubro, casadas com as eleições municipais, que devem transcorrer normalmente em 2016. Para Raupp, a proposta seria uma alternativa ao turbulento processo de #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff que tramita na Câmara.

Publicidade
Publicidade

"Vejo com bons olhos essa questão das eleições gerais. Nós não podemos nos permitir fechar portas ou deixar de debater alternativas. Nem a de fazer eleição geral, nem a de revisar o governo, até identificarmos o que se tem de melhor no parlamentarismo e no presidencialismo", avaliou Calheiros.

A proposta de Raupp, aprovada por Renan, vai na mesma linha da posição de #Marina Silva, líder da Rede Sustentabilidade. Nesta terça-feira, ela e o seu partido lançaram uma campanha pedindo o afastamento da chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer. Marina gostaria que o TSE agilizasse as investigações sobre supostas irregularidades na campanha petista de 2014 e que, se caso comprovadas, cassasse a chapa - possibilitando, assim, a antecipação das eleições presidenciais.