Após uma tumultuada sessão no #Senado Federal nesta terça-feira, 26, o senador Antonio Anastasia foi escolhido o relator do processo de #Impeachment da presidente Dilma Rousseff dentro da Comissão Especial da Casa. O cargo de presidente da mesa será exercido por Raimundo Lira (PMDB-PB), que foi escolhido por aclamação, bem diferente do caso de Anastasia, que recebeu cinco votos contrários de senadores ligados ao governo.

#Aécio Neves, no entanto, era só sorrisos após a "vitória" de Antonio Anastasia, seu aliado político e ex-companheiro de governo em Minas Gerais. Anastasia foi o vice-governador de Aécio de 2006 a 2010 e depois assumiu a cadeira, após Aécio Neves se licenciar para a disputa do Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

Em 2014, o novo relator do processo de impeachment foi o coordenador da campanha presidencial de Aécio Neves, que acabou derrotado por Dilma Rousseff no segundo turno.

Contudo, Aécio não faz parte do grupo de 21 senadores que formam a Comissão Especial do impeachment no Senado Federal. Mesmo assim, ele fez questão de parabenizar pessoalmente o colega Antonio Anastasia após a sua eleição como relator. Na segunda-feira, Aécio tinha comentado a possibilidade do aliado exercer esse cargo.

"Eu fico feliz que o defeito que encontram no Anastasia é o fato de ele ser meu amigo. Se essa é a questão, vejo que ele está avalizado para assumir esse posto. Quem sabe brigo com ele até o fim do processo para sanarmos esse problema", brincou Aécio.

A partir de agora, a Comissão tem 10 dias para votar o relatório apresentado.

Publicidade

A tendência é que o colegiado aprecie no dia 9 de maio, e a votação em plenário seja no dia 12.