Zezé Perrella, senador do PTB de Minas Gerais, foi bastante contundente em seu discurso contra a presidente #Dilma Rousseff e a favor do seu #Impeachment. Ele se manifestou na noite de quinta-feira (28), em sessão da Comissão Especial no #Senado Federal.

Na quinta, a jurista Janaína Paschoal, que assina o pedido de impeachment aberto ainda em dezembro do ano passado por Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, esteve como convidada do Senado Federal e prestou esclarecimentos sobre a sua denúncia e o seu ponto de vista sobre as ditas ilegalidades cometidas por Dilma.

Na peça da denúncia, pesam contra Dilma as tais “pedaladas fiscais” - atraso no pagamento a bancos públicos – e os decretos de suplementação sem a apreciação do Congresso no exercício do mandato de 2015.

Publicidade
Publicidade

Mas, para o senador Perrella, que elogiou muito a jurista Janaína Paschoal, “isso não é nada perto da roubalheira”.

“Eu queria parabenizar a senhora Janaína Paschoal pela coragem e atitude no trabalho. Criticam ela por ter recebido 45 mil por fazer um parecer. Pior é quem recebe 700 mil por uma palestra que nunca fez”, disparou Perrella insinuando a figura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula.

“Falam da questão das “pedaladas fiscais”, mas isso não é nada perto da roubalheira que existe na Petrobras. Se formos discutir esses assuntos, é de estarrecer. O impeachment vai acontecer porque também é um processo político. O Collor caiu por causa de um Fiat Elba. Nunca vi tantos motivos para um impeachment como agora. A Dilma vai cair, aliás, ela já caiu”, cravou o senador.