Em discurso feito na manhã de ontem, sexta-feira, 22 de abril, no auditório oficial da “Brazil Conference”, que fica em Cambridge (Estados Unidos), Rodrigo Janot, procurador-geral da República, disse que é real a possibilidade do afastamento da presidente da República #Dilma Rousseff (PT), que enfrenta processo de impeachment, em andamento agora no Senado, como manda a Constituição Federal.

Contudo, Rodrigo Janot não quis comentar, quando questionado por um jornalista presente no local, sobre um futuro e provável “Governo Temer” no Brasil. O procurador-geral da República se esquivou da pergunta de forma irônica: “vamos viver uma agonia a cada dia.”, disse Janot na “Brazil Conference”.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com Rodrigo Janot, não deve demorar muito para que o atual presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB do Rio de Janeiro), tenha seu destino, enfim, definido pelas investigações do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo Janot, o objetivo do Supremo é evitar que Cunha possa assumir o Palácio do Planalto, caso #Michel Temer seja impossibilitado de ocupar o cargo numa saída de Dilma. #Crise-de-governo