Sérgio Moro, o juiz que deflagrou a operação Lava Jato, já sonha com suas férias e diz a uma pessoa próxima que deseja muito o término da #Lava Jato até Dezembro deste ano. Disse Moro que, apesar dos desdobramentos da operação serem imprevisíveis, ele torce muito para que tudo termine o mais breve possível, por temer o desgaste na opinião pública. O apoio da população se tornou peça chave para que a força-tarefa da Lava Jato chegasse onde está. Ojuiz federal, que denunciou à nação o maior esquema de corrupção já visto na história do Brasil, disse temer a descoberta de novas tramas intrincadas e ilegais que poderão envolver outros agentes públicos, o que obrigaria à abertura de novas investigações na Procuradoria da República e na Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Intolerância nas redes sociais

O juiz federal disse a interlocutores que ficou preocupado e assustado com manifestações nas redes sociais, onde viu demonstrações de intolerância e ódio. Essas demonstrações ganharam destaque e força logo após a condução contra a vontade do ex-presidente Lula para depor na operação Aletheia, a qual investiga a suposta atribuição de propriedade do sítio Santa Bárbara e o tríplex no Guarujá (SP) a Lula. Moro, na época, destacou que a condução coercitiva não se tratava de comprovação de culpa, mas sim uma decisão necessária para a investigação em curso.

Crise moral e política

Sérgio Moro defende ainda que a crise política e moral que o país atravessa nesse momento precisa da ajuda da sociedade e de outras instituições para que se dê continuidade às transformações necessárias, que se tornaram urgentes para a moralização e o combate eficaz à corrupção profunda e sistêmica que se instalou em órgãos do governo, com a ajuda de agentes públicos e políticos.

Publicidade

O juiz federal destaca que um passo importante na direção do combate à corrupção foi dado na Suprema corte, ao decidirem que as prisões de condenados em 1ª e 2ª instâncias já poderão serem executadas antes mesmo da decisão em última instância. Moro disse, ainda, que as delações premiadas são o trunfo da operação Lava Jato, mas ainda assim recebem duras críticas de juristas e advogados de investigados. #Crise no Brasil