Bolsonaro é o tipo de político que arrasta multidões por um simples fato: fala o que pensa sem dever satisfações ou subordinação a ninguém. Há pessoas que o amam e outros que o detestam por apenas duas razões: São ’Maria vai com as outras’ e acham que o conhecem ou são sensíveis demais e não suportam a verdade.

Nessa sexta-feira, 1 de abril, o parlamentar participou de uma palestra que ocorreu no Clube Oficial da PM em Vitória, Espirito Santo. Na ocasião, um jovem esquerdista pediu para fazer uma pergunta para o deputado, mas acabou fazendo duas.

As perguntas do rapaz foram: Por que há tão poucos negros na plateia se a população brasileira é majoritariamente negra? E como que fica a associação da sua imagem (do Jair) ao discursar para uma associação (Polícia Militar) que já cometeu a ‘Candelária’ o ‘Vigário’ e tantos outros (crimes)?’

Enquanto o esquerdista falava, Jair Bolsonaro dava sinal para que não o interrompesse, mas quando o parlamentar começou a falar, o rapaz não teve o mesmo #Comportamento.

Publicidade
Publicidade

Para começar, Bolsonaro perguntou aos presentes: ‘Por acaso tem alguma placa ai fora impedindo a entrada de negros?’, ocasião em que um coro respondeu em alto e bom som que não havia impedimentos, dentre eles, os negros presentes, um deles, inclusive, vestia uma camiseta com a foto do parlamentar e fez questão de subir ao palco e ficar ao lado de Jair enquanto respondia ao esquerdista.

Quanto ao crime da Candelária, o parlamentar citou que haviam mais ou menos uma dúzia de jovens, brancos e negros, que cometiam crime naquela região do Rio de Janeiro, e que pessoas revoltadas com aquela situação mataram parte daqueles delinquentes, entretanto, houve sobreviventes.

A PM, na época, quis investigar o envolvimento de possíveis policiais com a chacina, ocasião em que pegaram policiais negros e colocaram diante de um dos sobreviventes, também negro, que apontou o dedo para o policial, que por sua vez nunca tinha atuado no patrulhamento e o acusou, fazendo com que pegasse três anos de prisão injustamente.

Publicidade

E foi mais longe, comentou que um daqueles sobreviventes foi o bandido que ceifou a vida de uma professora no crime do ônibus 174, que acabou virando filme. O deputado afirmou que se ele tivesse sido punido, a família daquela professora não precisaria ter vivido aquela tragédia.

O esquerdista não concordava com a resposta e continuava a reclamar, fazendo com que a equipe da palestra decidisse o tirar do palco, mas Bolsonaro falou que era para que ele ficasse, pois tinha muito o que aprender. Por fim, o jovem reclamou mais uma vez acusando alguém de o ter mandado calar a boca, ocasião que Bolsonaro virou e falou: ‘E cala a boca de novo que estou falando! Acabou a conversa desse malandro!”, sendo aplaudido por todos os presentes.

Assista agora ao vídeo completo da resposta do deputado. Após assisti-lo, deixe a sua opinião sobre a postura de Jair Bolsonaro diante do esquerdista ‘massacrado’.

#Reforma política #Dentro da política