Os sofás de casa não estarão desocupados. Assim como em quase todos os domingos, os brasileiros reservarão a tarde do próximo dia 17 para estarem grudados em frente à televisão. Mas dessa vez as atenções não serão para uma jogada bonita ou para um gol de placa, nem mesmo para o destino do clube do coração no campeonato; o foco será no voto de cada um dos 513 deputados federais, que, como verdadeiros astros, têm nas mãos o destino político do Brasil.

Ciente do momento político decisivo no país, do qual amplamente faz parte, a Rede Globo, maior emissora nacional de televisão, prepara uma ampla cobertura da votação do #Impeachment de Dilma Rousseff no próximo domingo.

Publicidade
Publicidade

No plenário da Câmara, os deputados votarão a favor ou contra o impedimento televisionados para milhões de brasileiros – ávidos em saber qual será o resultado da votação, deixando em segundo plano o resultado do time do coração. As outras grandes emissoras de TV aberta também preparam programação política especial para domingo.

Desde o final da semana passada, a Globo articula nos bastidores com os grandes clubes e suas respectivas federações estaduais a antecipação dos jogos marcados para o domingo, dia 17, para sábado, 16. O jogo do Corinthians contra o Red Bull Brasil, por exemplo, válido pelas quartas de final do Paulistão, será realizado no sábado, às 16h20. O mesmo ocorre com o Internacional, de Porto Alegre, que enfrenta o São José, pela semifinal do Gauchão. O jogo também será sábado no Beira-Rio.

Publicidade

No entanto, a emissora não teve o mesmo sucesso na negociação com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ), que manteve toda a sua rodada para às 16h de domingo. Como se trata da rodada final da Taça Guanabara, a entidade argumentou que todas as partidas precisam ser no mesmo horário, de modo que se tornaria inviável antecipar algum jogo para sábado. A Globo do Rio não confirmou se vai ou não transmitir Bangu x Flamengo, às 16h, domingo.

O rito do impeachment

Os trabalhos dos deputados no domingo se iniciarão às 14h. Os líderes de cada partido terão o direito a falar para orientar a postura de suas respectivas bancadas. A tendência é que a votação se alastre por toda a tarde e encerre somente no final da noite. Nesta quarta-feira, 13, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB – RJ) havida definido que a ordem de chamada para o voto seria realizada no sentido Sul-Norte, ou seja, os primeiros deputados a votarem serão os da região Sul.

Mas, a partir de reivindicação do PT e de outros partidos aliados da base, que reclamavam que nesse formato haveria uma “onda” a favor do impeachment durante a votação, Cunha voltou atrás e nesta quinta-feira, 14, anunciou que a votação será intercalada entre os estados.

Publicidade

Paralelamente à votação, manifestantes pró e contra o governo #Dilma Rousseff se articulam para irem às ruas em defesa de suas causas no domingo. Em Brasília, além do aumento do efetivo de segurança no entorno da Câmara, as autoridades estão recomendando que os shoppings não abram. É o Brasil se aproximando de um domingo diferente. #Eduardo Cunha