Os relatos de aliados que se reuniram com Cunha ainda na noite de quinta-feira (5) e toda sexta-feira (6) é que o presidente afastado da Câmara dos Deputados está abatido. A situação para Eduardo Cunha está tão complicada que até seus fiéis escudeiro já sugerem que ele renuncie à presidência da Casa, algo que ele nega de forma veemente.

Segundo relatos dos deputados que estiveram com ele durante a sessão do STF que abalizou seu afastamento, Cunha não proferiu nenhuma palavra durante todo julgamento. Os mesmos ainda disseram que ele está com uma expressão abatida. Porém, não foi essa imagem que Cunha tentou passar durante coletiva na noite de quinta quando comentou o assunto.

Publicidade
Publicidade

Com seu jeito #Eduardo Cunha de ser, ele considerou que os ministros não leram a peça liminar, nem sua defesa, de forma empenhada e afirmou que iria recorre da decisão.

O dia seguinte

Estiveram com Cunha na sexta-feira Rogério Rosso (PSD-DF), que foi presidente da Comissão do Impeachment e é o nome preferido entre os aliados de Cunha e "Centrão" para assumir a presidência da Câmara, e André Moura (PSC-SE), fiel escudeiro. Os aliados declararam que ele não falou nada sobre sua defesa e fez perguntas apenas sobre as comissões e o recente rebaixamento da nota de crédito por parte da agência Fitch. #Dentro da política