A presidente do Brasil #Dilma Rousseff pode estar há apenas três dias de ser destituída do poder. Na próxima quarta-feira (11) será votado no plenário do Senado o processo pelo afastamento de Dilma. Dos 81 parlamentares, 41 votos são necessários para o processo ser aceito. Maioria simples.

Caso o #Impeachment da presidente Dilma seja aceito, ela será afastada por 180 dias do cargo. Quem assume em seu lugar a presidência é o vice Michel Temer.

Após seis meses, uma outra votação será realizada e presidida no Senado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Levandowski. Nessa sessão são necessários dois terços, ou seja, no mínimo 54 votos.

Publicidade
Publicidade

O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), oposição ao governo, disse ao Jornal Nacional deste sábado (7/5) que já na primeira votação de quarta-feira devem alcançar o número necessário da segunda votação (54).

A admissibilidade do processo foi aprovado na sexta-feira (6) na Comissão Especial do Impeachment por 15 votos a favor e 5 contra. Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ), José Pimentel (PT), Telmário Mota (PDT) e Vanessa Graziotin (PCdoB) votaram contra o impeachment e a favor da presidente Dilma com o debate de que o processo seria "golpe".

O presidente da comissão, Raimundo Lira (PMDB(PB), disse que só votaria em caso de empate, o que não ocorreu. O relator, Antônio Anastasia (PSDB-MG), votou a favor, como já se era esperado.

O processo

O impeachment contra a chefe de Estado se desenvolveu a partir de 2 de dezembro do ano passado, quando o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitou o pedido dos juristas Hélio Bicudo, Janaína Paschoal e Miguel Reale Jr.

Publicidade

por crime de responsabilidade fiscal atribuída à Dilma Rousseff.

O governo acusou Cunha de ter aceitado o processo por vingança. O fato é que o processo passou rapidamente na Comissão Especial do Impeachment na Câmara e foi ao plenário. Em dia histórico, em 17 de abril, domingo, o processo teve aprovação de 367 votos pelo impeachment e apenas 137 contra.