O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, resolveu nessa semana entregar as denúncias envolvendo a delação do ainda senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). Na segunda-feira (2), foi a vez do pedido de abertura de inquérito junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra #Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), novamente. Já na última terça-feira (3), Janot pediu ao STF para investigar o ex-presidente #Lula.

Mas no meio de tantas informações e desinformações, separamos as denúncias apresentadas pelo procurador-geral da República por conta das informações de Delcídio.

Aécio Neves

O senador do PSDB é constantemente citado em delações da Operação Lava Jato, e agora estão abertos dois pedidos de inquérito contra ele baseados na fala do ex-senador Delcídio

1 – O famoso caso Furnas assombra o tucano mais uma vez, mas parece que agora, enfim, haverá investigação.

Publicidade
Publicidade

Aécio é acusado de lidera um esquema na hidrelétrica, chegando a pedir a Lula que mantivesse um diretor da estatal no comando.

2 – Outro famoso esquema tucano envolve a CPI dos Correios. Aécio é acusado de maquiar dados do Bando Rural, em 2005, ainda quando governador de Minas, pois os documentos obtidos pela CPI prejudicariam pessoas próximas ele.

Eduardo Cunha

O presidente da Câmara dos Deputados está um passo à frente de Aécio, ele já é réu no STF da Lava Jato.

Agora, foi enviado um pedido de abertura de inquérito para investigar também o envolvimento de Cunha com o escândalo de Furnas. Ele é acusado de ter ligação com a diretoria e modificar leis do setor energético em benefício próprio

Lula

Já o ex-presidente Lula tem o pedido de ser incluído no inquérito principal da Lava Jato, o qual apura a existência de uma organização criminosa trabalhando na empresa.

Publicidade

Até o momento, esse foi o único inquérito envolvendo o nome do ex-presidente Lula pedido pela PGR baseado nas denúncias de Delcídio do Amaral. Porém, se especula que Janot deverá nos próximos dias enviar ao STF solicitações específicas quanto ao caso de Lula. #Dentro da política