Eduardo Cunha finalmente foi afastado do seu mandato de Deputado Federal e consequentemente perdeu o cargo de presidente da Câmara dos Deputados, entretanto o político continuará dando uma despesa altíssima ao país, pois segue tendo direito a todos os benefícios dos demais colegas, podendo morar na residência oficial, contar com vários seguranças e até usar os veículos oficiais sempre que precisar.

O peemedebista custa para o país mais de R$ 160 mil todos os meses e mesmo afastado não perderá seus direitos, tendo inclusive um jatinho da Força Aérea Brasileira (FAB) à sua disposição. A justificativa é de que cunha encontra-se afastado, entretanto não perdeu o seu mandato.

Publicidade
Publicidade

Agora que está afastado, Cunha não pode mais exercer qualquer tipo de atividade parlamentar, só que ele continuará recebendo o seu salário mensal de R$ 33,7 mil, mais a verba para gastar com alimentação e outras despesas que é de R$ 35,7 mil.

Importante lembrar ainda que #Eduardo Cunha continuará recebendo todos os meses uma verba no valor de R$ 92 mil que é destinada ao pagamento de seu gabinete que conta com até 25 funcionários. O deputado já encontra-se afastado, mas seus funcionários continuarão em seu gabinete recebendo cada um seu salário.

Beto Mansur, do PRB/SP, revelou-se surpreso com tal decisão e afirmou que foi a primeira vez que o Supremo afastou um deputado e por isto eles ainda não sabem como deverão agir e nem que atitude deverá ser tomada, por isto estão se informando a respeito do caso para saberem o que fazer.

Publicidade

Miro Teixeira, da Rede Rio de Janeiro, considera o afastamento de Cunha semelhante a um possível afastamento da presidente Dilma Rousseff, ou seja, ela tem direito a continuar morando no Palácio da Alvorada se for mesmo afastada por até 180 dias, além de receber salário e benefícios.

Teori, relator da "Operação Lava Jato", informou que diante dos muitos indícios obtidos, Eduardo Cunha não apresenta condições de continuar presidindo a Câmara e que poderia inclusive atrapalhar as investigações que estão sendo realizadas contra ele.

Eduardo Cunha já visou que vai recorrer da decisão de seu afastamento e brigar pelo seu mandato. Enquanto isto, continuará custando aos cofres públicos mais de R$ 160 mil mensais. #Corrupção #Crise-de-governo