Segundo notícia divulgada no jornal “O Globo”, o deputado federal #Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que foi afastado da função da presidência da Câmara dos Deputados nessa quinta-feira (5), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), está “transtornado” e não sabe quais atitudes tomar após seu afastamento da presidência da câmara.

A informação do comportamento de Cunha foi relatada por aliados do deputado que acompanharam com ele a sessão no STF, que julgou o pedido de seu afastamento.

Um dos deputados aliados de Cunha informou que Eduardo Cunha “não sabe para onde ir agora”. Cunha estaria indeciso sobre ficar em sua residência em Brasília ou ir de volta para a sua residência no Rio de Janeiro para ficar com a família.

Publicidade
Publicidade

“O Eduardo está muito preocupado e transtornado. Ele nos disse que não sabe o que vai fazer agora porque precisa cuidar da família no Rio, mas afirmou que também não vai conseguir ficar para lá e para cá”.

Aliados de Cunha estão aconselhando-o a renunciar 

Ao longo de todo o dia, alguns aliados de Cunha reuniram-se na residência do deputado para definir estratégias a serem tomadas a partir dessa nova situação. Estiveram com Cunha: Artur Lira (PP-PB); André Moura (PSC-SE); Júlio Lopes (PP-RJ); Paulinho da Força (SD-SP); e Jovair Arantes (PTB-GO), que atuou como relator no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Um dos aliados de Cunha disse ao jornal “O Globo” que o melhor caminho a seguir é a renúncia do mandato, renúncia de Eduardo Cunha ou de seu substituto na presidência da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA).

Publicidade

Dessa forma, os aliados poderão “encaixar” na presidência Jovair Arantes ou Rogério Rosso (PSD-DF), nomes mais aceitos a substituir Cunha na presidência.

Aliados de Cunha sobre Waldir Maranhão: "Severino Cavalcanti piorado"

Para a cúpula de Eduardo Cunha, Maranhão é um “Severino Cavalcanti piorado” e não tem as mínimas condições de exercer o cargo de presidente da Câmara.

“Um dos dois deve renunciar. Cunha tem que renunciar para salvar o seu mandato. Se ele renunciar, nós podemos nos livrar do 'Severino Piorado'. Achamos que o Maranhão dava conta do recado, mas ontem pudemos ver que ele não tem as mínimas condições de exercer a presidência”.

Em caso de renúncia, Eduardo Cunha manterá seu mandato de deputado e também seu foro no Supremo Tribunal Federal. #Crise #Câmara dos Deputados