O Senado Federal realiza sessão plenária hoje (11/05) para debater o relatório do processo de #Impeachment da Presidente #Dilma Rousseff.

A BlastingNews retransmite ao vivio a sessão, disponibilizando link direto para a transmissão da sessão efetuada pela TV Senado.  A responsabilidade pela geração de imagens é da produção da TV Senado

A sessão de hoje é destinada a deliberação sobre a admissibilidade do Impeachment da Presidente Dilma Rousseff. A sessão teve início às 10h, foi suspensa às 12h30 e retomada às 14h26, no total, 68 senadores estão inscritos para falar, cada um pode usar o tempo de 15 minutos, que somados podem chegar a 17 horas, o que inevitavelmente empurrará a sessão noite a dentro.

Publicidade
Publicidade

Parecer do Relator Anastasia foi pela admissibilidade 

O parecer do relator do processo no Senado, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) na Comissão Especial do Impeachment, foi favorável à admissibilidade do processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Durante os debates o senador Anastasia foi muito contestado por ter usado durante sua gestão como governador de Minas Gerais, expedientes similares aos quais fundamentam seu relatório pelo afastamento da presidente Dilma.

Na Comissão do Impeachment 15 senadores votaram a favor e cinco contra, sendo portanto aprovado pela maioria dos integrantes da Comissão.

Para que o processo tenha seguimento no senado, são necessários os votos da maioria simples dos presentes para aprovação, com ao menos 41 senadores no plenário; se todos os senadores estiverem presentes, são necessários 41 votos.

Publicidade

Deputado Waldir Maranhão tentou anular sessão da Câmara

O deputado Waldir Maranhão, vice-presidente e presidente interino da Câmara dos Deputados em substituição ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que teve mandato suspenso pelo STF - Supremo Tribunal Federal, emitiu despacho na manhã de 09/05 anulando as sessões da Câmara que aprovaram a admissibilidade do Impeachment.

Pressionado por parlamentares favoráveis ao afastamento da presidente Dilma, Maranhão revogou sua decisão no final da noite de 09/05. Durante a tarde, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado disse que não acataria a decisão de Maranhão. #Crise-de-governo