As principais centrais sindicais do País devem se reunir nessa segunda-feira (30) para definir propostas para a reforma da Previdência que serão apresentadas ao #Governo. A decisão veio após a reunião dos ministros do Trabalho, Ronaldo Nogueira, e da Casa Civil, Eliseu Padilha, com os líderes da UGT (União Geral dos Trabalhadores), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e Força Sindical no último dia 18.

As centrais sindicais são contrárias à fixação de uma idade mínima para aposentadoria e decidiram apresentar alternativas que poderão ser anexadas ao projeto que será levado ao Congresso para votação. Segundo a Folha de S.Paulo, no último dia 20 os sindicalistas decidiram manter as propostas do Fórum das Centrais, que defende a fórmula 85/95 (soma da idade com o tempo de contribuição) sem progressividade.

Publicidade
Publicidade

Para as lideranças sindicais seria necessário que o governo investisse na arrecadação para equilibrar as contas da Previdência, que possui um déficit de R$ 136 bilhões. Ainda de acordo com a Folha, uma das propostas para equilibrar as contas, defendida pela Força Sindical, seria a liberação dos jogos de azar. Já a UGT, segundo seu presidente, Ricardo Patah, em declaração à Rede Brasil Atual, teria uma proposta de reforma tributária relacionada ao uso da CPMF para o fundo previdenciário.