Há uma grande falta de expectativa para o grupo que está há mais de 13 anos no Planalto. O andamento do processo de #Impeachment, que pode ocasionar o afastamento da presidente #Dilma Rousseff, já na semana que vem, está transformando aos poucos a rotina no Planalto.

Dilma pediu para que suas gavetas fossem limpas, cinco dias depois que a Câmara autorizou o andamento do processo contra ela, em 17 de abril. Com a possibilidade de ser afastada por 180 dias, a presidente petista já está se organizando e preparando o ambiente para um eventual governo de Michel Temer. Os comissionados petistas também tendem a buscar novos caminhos e encostar em prefeituras petistas para conseguir novos cargos e apoios.

Publicidade
Publicidade

Vários técnicos do PT na Saúde, Desenvolvimento Agrário e Justiça foram atrás da prefeitura de São Paulo. Os Estados de Minas e Bahia, ambos com governos do PT, também já estão sendo sondados e desejados.

Mesmo diante do pedido da presidente Dilma para que não houvesse desânimo, até mesmo titulares da Esplanada não estão mais confiantes e otimistas. Nelson Barbosa, ministro da Fazenda, pode estar próximo de dar aulas na Fundação Getúlio Vargas. Aloizio Mercadante, hoje Ministro da Educação, tem planos de voltar à vida acadêmica na PUC (Pontifícia Universidade Católica). Já o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, tem a pretensão de reassumir o posto de vereador na cidade de São Paulo.

Situações atípicas

Várias coisas estranhas aconteceram esses dias no Planalto. Servidores da Previdência chegaram para o trabalho e não encontraram seu chefe, o ex-ministro Carlos Gabas, ele mudou para titular da Aviação Civil e não avisou ninguém no ministério.

Publicidade

Outro fato curioso aconteceu com o ministro do Turismo Alessandro Teixeira, que teve fotos de sua mulher tiradas no gabinete e divulgadas por ela na internet, criando uma situação constrangedora. E para terminar, até a bandeira do Planalto, que sempre tem sua troca pontualmente às 12h, na semana passada ocorreu às 13h15, conforme observações de turistas. #Crise-de-governo