Após a aprovação do senado, na madrugada desta quarta-feira, dia 11 de maio, e com a posse do novo Presidente da República #Michel Temer, se iniciou uma nova fase na politica brasileira. O novo #Governo começou com medidas de austeridade bem aprovadas por boa parte da população, que consistem na redução de gastos da máquina pública, embora os conflitos sociais se tenham reduzido de forma drástica com a aprovação do afastamento de Dilma Rousseff.

Mas vem marcado por escândalos de corrupção, que veem continuamente sendo divulgados por meio das delações premiadas do ministério público envolvendo o próprio Michel Temer e de seus aliados.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o caso Jucá mostrou uma potencial vontade política de obstruir a investigação da Lava Jato

Assim que tomou posse, o presidente em exercício Michel Temer deu posse ao seu novo ministério, que tem a difícil missão de fazer com que o Brasil volte a crescer economicamente e supere a crise econômica atual. Temer pretende também implantar reformas polêmicas como, por exemplo, a reforma da previdência, que é urgente, segundo alega o ministro da fazendo e previdência social Henrique Meirelles.

Como foi este primeiro momento deste novo governo?

Após sua posse e a posse de seus ministros, logo na segunda-feira o governo convidou centrais e sindicatos para, junto com o governo, encaminharem um projeto de reforma da previdência, que propõe basicamente que se mude a idade mínima de aposentadoria, que hoje está na faixa dos 58 anos, em média conforme a modalidade de aposentadoria.

Publicidade

Porém, nem tudo tem sido flores para a primeira semana de governo, pois o Presidente da República nomeou, como líder de governo, mais um citado na operação Lava Jato, 

Além disso, um dos ministros do novo governo, anunciou um corte de mais de 11 bilhões de reais do programa Minha Casa Minha Vida, que foram liberados pelo governo anterior. Então, o que se pode esperar para este novo governo é que terá muitos desafios pela frente, como a aprovação da polêmica reforma trabalhista, ou o relacionamento com o setor da cultura. #Crise no Brasil