Acusada de cometer pedaladas fiscais em 2014, e editar 6 decretos com despesas extras de R$ 2,5 bilhões, e repetir as pedaladas em 2015, #Dilma Rousseff foi afastada pelo Senado por até 180 dias para ser julgada.

Condenada, será afastada definitivamente e ficara inelegível por 8 anos. Inocentada, volta a assumir o cargo.

O vice Michel Temer assumiu interinamente e, no caso do #Impeachment, exercerá o mandato até o fim de 2018.

O passo a passo do processo:

07/10/15 - TCU reprova as contas de Dilma em 2014.

15/10/15 - Juristas entram com pedido de impeachment.

02/12/15 - Eduardo Cunha acata o pedido de impeachment e publica no Diário da Câmara.

Publicidade
Publicidade

03/12/15 - A denuncia foi lida no plenário da Câmara.

08/12/15 - Escolhida a comissão especial. O PC do B entrou com uma ação STF contra.   

16/12/15 - O STF elaborou um novo rito do processo de impeachment.

17/03/16 – Formada a Comissão da Câmara. Rogério Rosso é o presidente, Jovair Arantes o relator.

30/03/16 - Os autores do pedido falam para a comissão.

31/03/16 - O ministro Nelson Barbosa e o professor de Direito da UERJ Ricardo Ribeiro falam a favor do governo.

04/04/16 - O AGU José Eduardo Cardozo fez a defesa de Dilma.

06/04/16 - O relator apresentou parecer favorável à abertura do processo.

08/04/16 - A Comissão Especial debate sobre a abertura do impeachment.

11/04/16 – A comissão aprovou por 38 a 27 à abertura do processo.

12/04/16 - Feita a leitura em Plenário do parecer da comissão.

Publicidade

13/04/16 - O resultado da votação é publicado no D. O. da Câmara.

15/04/16 – Começa a sessão na Câmara para decidir sobre a admissibilidade do processo.

17/04/16 – A Câmara aprovou o envio do processo ao Senado por 367 votos a favor e 137 contra, 07 abstenções e 02 faltas.

18/04/16 – O Senado recebeu o pedido de impeachment.

19/04/16 – Autorização da Câmara para abertura do processo de impeachment é lido no plenário.

25/04/16 - Os nomes para comissão foram confirmados pelo Plenário do Senado.

26/04/16 – Instalada a Comissão do Senado. Raimundo Lira é o presidente, Antonio Anastasia o relator.

27/04/16 – Começa a reunião da comissão

28/04/16 – Janaína Paschoal e Miguel Reale Júnior fundamentam a acusação.

29/04/16 – O AGU, José Eduardo Cardozo, os ministros Nelson Barbosa e Kátia Abreu fazem a defesa da presidente.

02/05/16 - O procurador do MP no TCU Júlio Marcelo de Oliveira, o juiz José Maurício Conti e o advogado Fábio Medina Osório atestam os crimes de responsabilidade.

03/05/16 – O ex-presidente da OAB Marcello Lavenère e os professores de direito Geraldo Mascarenhas Prado e Ricardo Lodi Ribeiro defenderam a presidente.

Publicidade

04/05/16 - Antonio Anastasia, relator, apresentou o relatório favorável ao impeachment.

05/05/16 – O relatório foi discutido pelos senadores.  

Teori Zavascki do STF, afasta Eduardo Cunha do mandato de deputado federal e da presidência da Casa. À noite os 11 ministros do STF confirmaram a decisão.

06/05/16 - Por 15 a 05 a comissão do Senado aprovou a abertura do processo de impeachment. 

09/05/16 – Vicentinho Alves, leu no plenário do senado um resumo do parecer da comissão.  O relatório é publicado no D. O. do Senado.

O presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão, anula a votação que aprovou a admissibilidade do impeachment.

Renan Calheiros avisou que daria continuidade ao processo no Senado.

CCJ do Senado adia para o dia 12 a decisão sobre a cassação de Delcídio do Amaral.  

Renan Calheiros avisa que só marcaria a votação do impeachment de Dilma após a votação do caso de Delcídio.

10/05/16 – Processo de Delcídio vai a plenário e por 74 votos a zero seu mandato de senador foi cassado.

O presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão, revoga sua decisão de anular a sessão da Câmara.

A AGU entra com um mandado de segurança no STF para anular o processo de impeachment.

11/05/16 - Teori Zavascki do STF nega o pedido da AGU.

12/05/16Senado aceitou por 55 votos a favor e 22 contra o pedido de abertura do processo de impeachment.

Dilma é notificada do afastamento e Temer assume a presidência do Brasil. #Crise no Brasil