A #Violência em São Paulo poderia ser resumida a uma canção do rapper Criolo, onde o músico diz: "Não existe amor em SP". É assim que muitos veem a maior cidade da América Latina e uma das maiores megalópoles do mundo, São Paulo.

Atos de violência em São Paulo comove todo o país 

A cidade já foi palco de chacinas, truculência e mortes relacionadas a poderes da segurança pública. Recentemente, a Organização das Nações Unidas (ONU), divulgou nota pedindo a desmilitarização da polícia e investigação mais coerciva para os crimes cometidos dentro das corporações.

Muitas denúncias são realizadas todos os dias por aqueles que vivem à margem da sociedade.

Publicidade
Publicidade

 Mais de 70% dos jovens que são assassinados no país são de pele negra ou parda, sendo alvo também da violência da Polícia Militar . Na mídia, a população acompanha o desfecho de uma organização que demonstra despreparo e preconceito nas ações, que em muitas vezes, acaba com inocentes mortos ou feridos.

Governador perdeu na justiça e deverá abrir os mais de 120 mil dados sobre a violência

Recentemente o governador de São Paulo, #Geraldo Alckmin (#PSDB), decretou sigilo para os documentos relacionados a atuação da polícia no estado. O governador foi intimado pela justiça a liberar os dados, recorreu e perdeu em segunda instância. Alckmin agora é obrigado a revelar os mais de 120 mil documentos que tratam do mapeamento da violência na capital e no estado de São Paulo.

Os boletins de ocorrência eram sigilosos e nenhum veículo de comunicação poderia ter acesso a eles, de acordo com a proibição de Alckmin.

Publicidade

Mas, foi depois de a Folha de São Paulo requisitar a cópia de um boletim, que o caso foi para o Tribunal de Justiça.

O que Alckmin queria esconder da população e dos jornais?

Não se sabe ao certo o teor de todos os documentos que serão disponibilizados pela Secretaria de Segurança Pública do estado. Os índices de criminalidade de São Paulo são muitos elevados, o que muitos apontam com o medo de Alckmin. 

A divulgação destes dados pela mídia brasileira poderia influenciar na imagem do governo do tucano, que não anda 'boa das pernas'. Em pesquisa recentemente divulgada no estado, a rejeição ao governo de Alckmin chega a mais de 60% de toda a população.

Além destes documentos sobre a segurança no estado, o governador decretou sigilo para todos os documentos relacionados as obras de mobilidade urbana no estado. Uma empresa europeia foi condenada por corrupção envolvendo as obras no estado, e foi obrigada a pagar multa bilionária nos EUA e na Alemanha, e na justiça brasileira, o caso segue parado, sem nenhuma resposta.