O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi afastado do mandato, e consequentemente do cargo de presidente da Câmara, por meio de liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, na manhã desta quinta-feira (5).

A figura de #Eduardo Cunha se notabilizou por ser bastante controversa dento da Câmara dos Deputados e quase que uma unanimidade entre a população. Com um acúmulo de denúncias e suspeitas que recaem sob ele, e até sua família, o STF precisou intervir.

Veja todas as acusações contra Eduardo Cunha

Réu

Um dos pontos que mais depõem contra Cunha é fato dele ter se tornado réu, de forma unânime, no STF pela Lava Jato por denúncias de lavagem de dinheiro e corrupção.

Publicidade
Publicidade

O presidente afastado da Câmara dos Deputados foi denunciado pela Procuradoria Geral da União por ter recebido propina no valor de US$ 5 milhões pela compra de navios-sonda por parte da Petrobras.

Porto Maravilha

Também correm no STF dois inquéritos sobre as obras do Porto Maravilha. Segundo delação premiada de empresários da Carioca Engenharia, Cunha recebeu R$ 52 milhões em propina.

Outros inquéritos

Além desses dois inquéritos envolvendo o Porto Maravilha, o STF autorizou a abertura de mais dois, porém, correm em segredo de justiça. Segundo informações da Folha de S. Paulo, os crimes são de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Prática de intimidação

Quando Rodrigo Janot enviou ao STF o pedido de afastamento de Cunha do mandato de deputado ele listou 11 motivos para isso.

Publicidade

Uma dessas razões era a prática constante de intimidações contra pessoas que iam contra sua vontade.

Além de supostas ameaças contra Fausto Pinato (PP-SP), quando o mesmo era relator de seu caso no Conselho de Ética da Câmara, Cunha é acusado de utilizar seus aliados para constranger com convocações para a CPI da Petrobras pessoas que eram contra ele

Conselho de Ética

Além de todos os problemas envolvendo o STF, corre um processo pedindo a cassação de Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara. Ele é acusado de quebra de decoro parlamentar por supostamente ter mentido na CPI da Petrobras ao ter negado possuir contas no exterior.

Cunha foi denunciado em outubro, e seu processo já bateu o recorde de duração na Casa por suas seguidas manobras e de seus aliados.

Manobras constantes

Pelo seu amplo conhecimento do Regimento Interno da Câmara, Cunha é conhecido por suas manobras ao não conseguir o que quer de primeira. São inúmeros os casos, como, por exemplo, a votação da redução da maior idade, quando seu gosto foi contrariado em uma votação e ele colocou a matéria para ser votada novamente no dia seguinte.

Publicidade

A mais recente trata da criação da Comissão de Defesa da Mulher e dos Direitos de Pessoas Idosas, quando a revolta foi tanta que as deputadas “expulsaram” Cunha da cadeira da presidência e ele teve que paralisar a sessão.

Mas o alvo preferido de Cunha ainda segue sendo o Conselho de Ética, onde ele já protelou sessão, destituiu relator e voltou a estaca zero seu processo de cassação.

Acusações na família

Segundo denúncias da PGR, Cunha, sua esposa e a filha são beneficiários de contas no exterior que são abastecidas com dinheiro de propinas. Com esse dinheiro, eles fazem viagens de luxo ao exterior. #Dentro da política