O senador Fernando Collor de Mello, do PTC, já passou pelo que Dilma Rousseff está passando agora, quando, em 1992, renunciou ao seu mandato e teve seus direitos políticos cassados pelo Senado. Só que agora ele está do outro lado da mesa e faz parte dos senadores que irão julgar a presidente pelas "pedaladas fiscais". Em seu discurso no plenário, nesta quarta-feira (11), Collor criticou o governo da petista e afirmou que nunca o país passou por tantas crises ao mesmo tempo, tanto as crises políticas como também na moralidade.

Só que, no final, o senador acabou não deixando claro se votará contra ou a favor da saída de Dilma Rousseff.

Mas Collor foi bem duro nas palavras e disse que o governo chegou às ruínas e que o maior crime está no "desleixo com a política, na irresponsabilidade pelo aparelhamento desenfreado do estado que o torna ineficaz".

Publicidade
Publicidade

E o senador disse que não foi por falta de aviso que Dilma chegou a esta situação, pois ele garante que, por diversas vezes, chegou a alertá-la sobre os muitos erros da economia, além de mostrá-la que estava faltando diálogo com o parlamento e concluiu: "Não me escutaram, relegaram minha experiência". Fernando Collor também não perdeu a oportunidade de comparar o seu #Impeachment com este de agora e afirmou que a história lhe reservou este momento.

Mas os problemas de Collor não ficaram no passado, pois agora ele está sendo denunciado pelo Ministério Público Federal e já está sendo investigado na "Lava Jato". Até o momento as acusações dão conta de que Collor recebeu mais de R$ 26 milhões em propina e que esteve diretamente ligado ao esquema de corrupção que se instalou na Petrobras, no período de 2010 até 2014.

Publicidade

Alberto Yousseff é quem teria entregue parte do dinheiro a Collor através de depósitos bancários. A Polícia Federal, cumprindo determinação do Supremo Tribunal Federal, chegou a cumprir mandado de busca e apreensão na casa do senador, onde 3 automóveis luxuosos foram apreendidos, sendo eles: Lamborghini, Porsche e uma Ferrari.

Assim que Collor fez o pronunciamento, seu nome ficou sendo o assunto mais comentado do Twitter e foram muitas as críticas, confira algumas.

#Dilma Rousseff #Crise-de-governo