Os reflexos da crise política brasileira já alcança de forma substancial os comentários mundo afora, especialmente entre os países membros da OEA (Organização dos Estados Americanos), que abrange as nações localizadas nas Américas: do Norte, Central e do Sul. O governo do presidente interino #Michel Temer enfrenta vários desafios, entre eles, e fator de enorme importância, é a aceitação ou não por parte de outros países quanto à legitimidade de seu mandato como presidente da República interino, até que o Senado Federal decida sobre o processo de #Impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

Apoio do governo americano

A reunião desta quarta-feira (18) entre os país membros da Organização dos Estados Americanos foi marcada por críticas e apoio ao novo #Governo brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Países como Venezuela, Bolívia e Nicarágua, caracterizaram o processo de impeachment no Brasil como um golpe em curso para afastar definitivamente a presidente Dilma e o PT do comando do País. Porém, o que chamou à atenção de todos, de modo marcante, foi o apoio dos Estados Unidos ao governo Temer, razão pela qual, pela primeira vez, há um pronunciamento do embaixador americano junto à OEA sobre o momento político conturbado, enfrentado pelo Brasil.

O respaldo foi expressado através das palavras do embaixador americano, Michael Fitzpatrick, que afirmou contundentemente, em resposta às nações contrárias: "não acreditamos que ocorra um processo de golpe suave, ou de qualquer outro tipo no Brasil. O País seguiu o processo legal em respeito à sua Constituição e à democracia, vigorando o Estado de Direito", afirmou o embaixador, rechaçando a tese de golpe e aproveitou ainda para alfinetar a Venezuela ao dizer que " a preocupação é com o caso da Venezuela, que em nada se assemelha à situação brasileira", afirmou Fitzpatrick.

Publicidade

A Argentina, considerado um país de enorme importância no continente americano, também respaldou o governo brasileiro, manifestando apoio às instituições democráticas do Brasil. Já o embaixador brasileiro junto à OEA, José Luiz Machado e Costa, afirmou que "os direitos sociais e também todas as conquistas da sociedade brasileira, se fazem assegurados, de maneira plena", destacou.