O socialista Jean Wyllys foi condenado nessa terça-feira, 24, pagar a quantia de R$ 40 mil de indenização a procuradora aposentada do Distrito Federal Beatriz Kicis Torrentis de Sordi.

Há algum tempo o deputado federal do PSOL-RJ publicou uma foto de Beatriz juntamente com uma legenda que ofendeu a honra da jurista do Distrito Federal. A imagem teve mais de vinte mil curtidas e chegou a ser compartilhada mais de seis mil vezes.

Como consequência, Beatriz decidiu pleitear ação cível contra o parlamentar, mostrando que a imunidade de um deputado não permite ato lesivo a reputação e honra de outra pessoa.

A decisão de condenação de Wyllys foi tomada pela 5ª Turma Cível do Tribunal de #Justiça do Distrito Federal, que determinou o pagamento de R$ 40 mil.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o desembargador Josaphá Francisco dos Santos incluiu na sentença a exclusão imediata da publicação.

Entenda como tudo aconteceu

No ano passado o ‘Movimento Foro Brasília’ compareceu a #Câmara dos Deputados para entregar a Eduardo Cunha um pedido de impeachment contra Dilma Rousseff. Até então, o pedido que gerou o atual processo ainda não havia sido aceito pelo presidente da Casa.

Então, Jean utilizou uma foto em que os membros do movimento estavam com o dedo indicador para cima simbolizando o ‘i’ do impeachment e escreveu na legenda: “Levante a mão quem quer ‘uma fatia dos R$ 5 milhões”, fazendo referência as acusações contra Eduardo Cunha. Beatriz estava nessa foto e decidiu processá-lo.

Jean Wyllys não se manifestou sobre o ocorrido, mas o PSOL (Partido Socialista) do qual o deputado é filiado, declarou insatisfação com a decisão.

Publicidade

Essa não é a primeira vez que Jean se envolve em uma polêmica por conta de publicações nas redes sociais. Em 2013, após receber uma crítica de um internauta sobre um projeto, Jean o chamou de ‘negro gordo’, gerando grande polêmica.

Relembre:

Mais recentemente, após o episódio do cuspe em Jair Bolsonaro no dia da votação do impeachment, 17 de abril, Jean publicou no Facebook que cuspiu para se defender, pois além de ter sido hostilizado com palavras que atentavam contra a sua honra, como ‘veado’ e ‘queima-rosca’, o deputado do PSC (Partido Social Cristão) teria tentado agarrar o seu braço violentamente.

Pouco depois, as imagens do ‘cuspe’ foram divulgadas através de dois ângulos diferentes por emissoras de TV, mostrando que Jair estava distante do socialista o tempo todo. Jean não se manifestou pelas imagens pós publicação e em entrevista ao ‘Conexão Repórter’, disse que o cuspe é um ato de ‘resistência’.

E você, o que achou dessa condenação do deputado? Concorda? Deixe a sua opinião com um comentário. #Crime