Uma das informações curiosas que vieram à tona nessa segunda-feira, 23 de maio, com o vazamento da gravação da conversa entre, o agora ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, e Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, foi à alusão ao nome do senador #Aécio Neves (PSDB de Minas Gerais), no que ambos chamaram de “esquema Aécio”.

Segundo Jucá e Machado, a ficha do PSDB teria “caído”, pois os avanços das investigações da Operação #Lava Jato, lideradas pelo juiz Sérgio Moro no Paraná, podem “pegar um por um”, sendo que o primeiro deles seria justamente o atual presidente da sigla, Aécio Neves; o primeiro a ser “comido”, como disse Romero Jucá na gravação vazada ontem pelo jornal Folha de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Horas depois do vazamento do áudio, Romero Jucá, em entrevista para uma rádio de notícias de alcance nacional, tentou explicar o termo “esquema Aécio” ao afirmar que se tratava de uma ação para eleger o então deputado federal a presidência da Câmara no início da década passada.

A assessoria do senador Aécio Neves afirmou, em nota para a imprensa, desconhecer todas as informações divulgadas. #Crise-de-governo