Em entrevista ao canal de televisão venezuelano Telesur, cujo teor foi publicado na última sexta-feira, dia 20, pela Folha de São Paulo, o ex-presidente #Lula não descarta a possibilidade de se candidatar novamente à presidência da República em 2018. Apesar de relutar diante de tal hipótese, o antecessor de Dilma declarou que a sua volta ao cargo ocorreria somente com um único objetivo: manter as conquistas e os benefícios sociais que foram implantados no país após a ascensão do #Governo petista no comando da nação.

Lula declarou que planeja encontrar um representante mais jovem para o principal cargo do país. Ele alegou que já foi presidente e que o Brasil precisa de alguém com bem menos idade que os seus 70 anos.

Publicidade
Publicidade

Ele referiu-se a alguém preparado, entretanto, que ainda  não tenha sido eleito para o posto. O ex-dirigente disse que não sente mais necessidade voltar ao Palácio do Planalto. Apesar disto, ele declarou que só disputaria outra eleição caso fosse preciso evitar que todos os benefícios sociais que tanto seu governo, quanto de sua sucessora, fossem desmontados.  

Ao se referir ao desmonte das conquistas obtidas, Lula criticou a política de retrocesso de Temer

O ex-presidente aproveitou a entrevista para criticar incisivamente a postura de Temer. Lula discordou das atitudes do interino e chamou a atenção para o fato de que o mesmo ocupa o cargo em caráter provisório. Neste sentido, o petista não aceita que todas as decisões que estão sendo tomadas pareçam de um gabinete que já se instalou definitivamente no comando do país.

Publicidade

Lula criticou também a atual postura do ministro das Relações Exteriores, José Serra, por seu discurso em um tom feito para as elites brasileiras, que não toleram lidar com os menos favorecidos.

Além disto, Lula ainda condenou a atitude do governo Temer em cancelar a contratação de mais de 11.000 unidades de moradia do programa Minha Casa Minha Vida. Ele classificou tal medida como um grande engano, no qual, os responsáveis irão experimentar as consequências pelo ato.

Classificando o atual momento como 'delicado', ele reiterou a crença de que o processo de impeachment de Dilma Rousseff poderá ser revertido no Senado. Lula aposta no intenso trabalho para mudar a opinião dos componentes daquela casa, principalmente, os senadores que já demonstraram um certo arrependimento em virtude dos atos cometidos por Temer no cargo.   #PT