Os brasileiros ficam horrorizados quando os gastos públicos vem à tona, seja em denúncias ou reportagens jornalísticas. Não é de hoje, no país, que muitos políticos gozam de uma vida de luxo e de extrema riqueza. Outras centenas deles já foram acusados de enriquecimento ilícito e de corrupção. Não se sabe onde surgiu esse desejo inconsumível nos políticos de adquirir um capital cada vez maior, de aglutinar poder, política e dinheiro em uma tríade que acaba com a legitimidade política.

Políticos têm vida de luxo e de muita riqueza

Há poucos dias noticiamos, aqui no Blasting News, o gasto excessivo do ex-ministro de Temer, Romero Jucá.

Publicidade
Publicidade

O senador gastou 500 mil reais em móveis para uma cozinha gourmet e um armário embutido, conhecido como closet. Imaginem um parlamentar com salário de pouco mais de 30 mil reais, pagar essa fortuna em parte dos móveis que representa sua mansão em Roraima. Imaginem também, quanto deverá ter custado toda essa casa, pois, se um closet e uma cozinha custaram meio milhão de reais, imaginem o resto. 

Esses valores fogem da realidade de mais de 95% da população brasileira. População que trabalha arduamente e tem como precatória o exímio salário mínimo, defasado atualmente. 

Logo após o luxo de Jucá (PMDB) ser exposto pelos jornais no país, dessa vez foi #Eduardo Cunha que teve seus luxos contestados pelo jornal O Globo. O jornal apura quanto custa a vida de Eduardo Cunha.

Eduardo Cunha custa muito mais de 500 mil por mês

Os números são astronômicos e causam revolta na população brasileira.

Publicidade

Só para manter a casa de Cunha, a câmara gasta mais de 400 mil reais por mês. A servidora pública, que é designada a gerir a casa de Cunha, ganha, nada mais nada menos, que cerca de 30 mil reais por mês.

Os altos números não param por aí. Para que o deputado afastado tenha uma refeição de qualidade e conte com uma equipe de preparo de sua comida, são gastos mais de 35 mil reais por mês. O pacote inclui três cozinheiros, quatro garçons, um chefe de cozinha, duas arrumadeiras e dois auxiliares de cozinha. Isso tudo para o deputado afastado por acusações de desvio de dinheiro, evasão de divisas fiscais e corrupção.

Se não bastassem todos esses gastos, além da proteção da Polícia Legislativa, Cunha possui uma equipe terceirizada de segurança. Essa equipe custa, para os cofres públicos, mais de 60 mil reais.

A reportagem do jornal 'O Globo' foi realizada através da denúncia protocolada pelo PSOL, na PGR, contra os gastos excessivos de Eduardo Cunha. Segundo o PSOL, além dessa equipe de segurança, a câmara gasta cerca de 227 mil reais com 16 policiais legislativos que cuidam da segurança do deputado afastado. #Crise no Brasil #Crise-de-governo