Segundo o empreiteiro Marcelo Odebrecht, Luciano Coutinho, presidente do BNDES e o ex-ministro da fazenda, Guido Mantega, cobraram doações para a campanha de Dilma Rousseff em 2014. Em suas declarações, Marcelo diz que as obras financiadas pelo BNDES para a Odebrecht passaram de US$ 166 milhões para US$ 1 bilhão de dólares em 2014. Mas apesar de suas declarações, os procuradores da Lava Jato ainda não fecharam acordo de delação. Ainda assim os procuradores acreditam que a Odebrecht  pode revelar pormenores da relação do ex-presidente Lula com os esquemas de propina envolvendo a Petrobras.

Os esquemas de Lavagem de dinheiro

Os investigadores da Lava Jato até o momento já conhecem o esquema do Pt, que mantém o hábito de pedir 1% de propina nos empréstimos concedidos pelo BNDES às empreiteiras que participavam do cartel  para financiamentos de obras fora do país.

Publicidade
Publicidade

 A empreiteira Andrade Gutierrez, por meio de seus executivos, delataram também Guido Mantega e Luciano Coutinho que negaram participação no esquema de propinas. Mantega que já havia sido citado em outras delações da Lava Jato, ainda intermediava pagamentos de caixa 2 para o PT.

Apurações do Ministério Público

Os procuradores da Lava Jato já apuraram até agora pelos denunciados, várias participações de Mantega no esquema de cobranças de propinas. Mônica Moura, mulher do marqueteiro João Santana também confirmou em sua tentativa de delação premiada, que Guido Mantega se reuniu várias vezes com ela para a indicação de executivos de empreiteiras, incluindo a Odebrecht, para pagamento de propina não declarados à Justiça Eleitoral.

Em acordo de delação Marcelo Odebrecht confirmou a participação de Dilma na tentativa de garantir a liberdade de empreiteiros presos na Lava Jato e incluindo a sua liberdade.

Publicidade

No relato dos empresários, Guido Mantega e Luciano Coutinho eram responsáveis por pedirem às empreiteiras para procurarem Edinho, tesoureiro da campanha de #Dilma Rousseff em 2014. Tais pedidos se restringiam somente para que continuassem a ter a ajuda do governo. O ministério Público pediu a abertura de inquérito ao STF, para investigar Dilma, com base na delação de Delcídio do Amaral. A presidente nega as acusações de Delcídio e diz que são mentirosas. #Corrupção #Crise-de-governo