No último dia 25 de abril, foi feita a apresentação de um processo judicial, elaborado pela mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marisa Letícia, o filho, Fábio Luís #Lula da Silva, e a nora, Renata Moreira, no qual acusam a União pela divulgação na mídia dos áudios colhidos nos grampos telefônicos que foram interceptados como parte das investigações da Operação #Lava Jato e divulgados, a mando do juiz federal Sérgio Moro, da primeira instância da Justiça Federal do Paraná.

No pedido encaminhado, a mulher, o filho e a nora de Lula pedem uma indenização que “não seja menor que R$ 100 mil” para cada um, ou seja, o valor da causa na justiça não deve ser de menos de R$ 300 mil.

Publicidade
Publicidade

O princípio de defesa dos advogados dos três envolvidos será feita em cima da alegação que os áudios deviam ter sido mantidos em sigilo por parte do juiz Sérgio Moro, e que a interceptação das conversas, via grampos telefônicos, foram feitas de forma ilegal e desrespeitando a legislação vigente sobre sigilos telefônicos e segredos de justiça.

Os advogados alegarão que a divulgação dos áudios causou constrangimento aos envolvidos, que, por consequência, resultou na elaboração dos pedidos de indenização, por danos morais, aos autores das ações.

Em um dos trechos dos diálogos, Marisa chama manifestantes de coxinhas e manda que eles enfiem as panelas no c...”

Num dos trechos dos diálogos interceptados e divulgados em vários meios de comunicação, a ex-primeira dama do Brasil reclama dos manifestantes que estão batendo panelas em frente ao seu apartamento em São Bernardo do Campo.

Publicidade

“Eles que enfiem suas panelas no c...”.

Em outro trecho, Marisa chama os manifestantes que estavam protestando contra a corrupção e o PT de “coxinhas”, expressão que atualmente é muito utilizada quando se referem a pessoas que criticam o PT.

De acordo com notícia veiculada no jornal Estadão, a justiça já determinou que a AGU (Advocacia Geral da União) se manifeste e dê seu parecer sobre o processo acima citado, algo que não deve demorar muito. #Polícia Federal