Faltam apenas 77 dias para os Jogos Olímpicos 2016. Leonardo Picciani é a terceira pessoa a ocupar o Ministério dos Esportes apenas este ano; ele assumiu após o afastamento de Dilma Rousseff, mesmo tendo votado contra o seu impeachment.

Michel Temer se tornou presidente interino na reta final dos preparativos para o evento. Diante desse cenário, Picciani respondeu quem leva os créditos pela organização do evento, a presidente afastada ou o presidente interino. Desconversando, o ministro dos esportes argumentou que será, na verdade, um "legado do povo brasileiro", primeiramente, mas que todos que participaram de toda a organização merecem crédito.

Publicidade
Publicidade

Ele disse ainda que Michel Temer tem papel crucial, já que cuidará do final do trabalho.

Sobre os últimos acontecimentos políticos afetarem os Jogos Olímpicos, Picciani diz que já está "convencido" de que não afeta em nada, pois o país mostrou ter instituições sólidas. Ele relembrou que a "palavra-chave" de Temer, após assumir o poder", foi "confiança". O ministro dos esportes ainda revelou que o presidente interino não se decidiu sobre estar presente ou não na aberta dos Jogos, mas que acredita que ele irá. 

Ele ainda respondeu o que falta concluir a pouco menos de 80 dias para a grande abertura do evento. Ele disse que todas as obras estão em fase de conclusão ou já concluíram; um total de "86% finalizado", faltando apenas "ajustar, se preparar e cumprir". Sobre possíveis envolvimentos de obras dos Jogos no Petrolão, o ministro garantiu que as investigações conseguirão encontrar qualquer problema, se existir. 

Por fim, ele ainda respondeu se é um "golpista", já que integra o gabinete de Temer, mesmo tendo votado contra o impedimento de Dilma.

Publicidade

Ele garante que não é golpista e também não acha que o que aconteceu foi um golpe, mas que votou de acordo com sua "consciência". Sobre o resultado ter sido injusto, ele reconhece que foi "derrotado" e que essa derrota o fez começar uma "profunda reflexão" sobre o assunto. Ele revelou também que não esperava ser convidado para ser ministro. #Rio2016