Ministros do governo interino de Michel Temer (PMDB) estão sendo alvo de diversas investigações judiciais, além das que já estão sendo feitas há mais de um ano pela Operação Lava Jato, liderada pelo juiz Sérgio Moro, em Curitiba (Paraná).

Dentre os novos ministros que estão sob investigação da Justiça, pode se destacar: Maurício Quintella (PR), ministro dos Transportes, Ricardo Barros (PP), ministro da Saúde, José Serra (PSDB), ministro das Relações Exteriores, e Romero Jucá (PMDB), ministro do Planejamento, e aliado direto do presidente interino #Michel Temer.

De acordo com publicação do jornal Folha de São Paulo, Maurício Quintella está sendo investigado de participar de um esquema fraudulento em Alagoas, que teria desviado dinheiro destinado à merenda escolar no estado.

Publicidade
Publicidade

A quantia desviada gira em torno de R$ 134 milhões. Já Ricardo Barros, é suspeito de ter realizado direcionamento de licitação publicitária quando ainda era prefeito de Maringá (Paraná).

José Serra é alvo do Ministério Público Federal e responde por um processo reparatório de danos por improbidade administrativa. Por fim, Romero Jucá, que além de ser investigado pela Lava Jato, também é suspeito de cometer crime de responsabilidade por desvio de recursos do Governo Federal destinados a obras na cidade de Cantá (Roraima). Ele também responde por falsidade ideológica. #Investigação Criminal #Crise-de-governo