O juiz federal da primeira instância de Curitiba, Sérgio Moro, decretou, nessa quinta-feira (19), mais uma sentença drástica e que certamente entrará para a história do combate a ações de #Corrupção no país. Ele decretou o confisco dos bens do ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu e também de recursos depositados em contas bancárias do ex-ministro e de seu irmão.

Em sua totalidade, foram confiscados quatro bens do ex-ministro, dois imóveis em São Paulo, um na cidade de Vinhedo, São Paulo e um situado na cidade de Passa Quatro, cidade pertencente ao estado de Minas Gerais.

Entre os imóveis confiscados, está a sede da empresa de José Dirceu em São Paulo, a JD Assessoria.

Publicidade
Publicidade

A decisão de Moro se baseou no código penal brasileiro que prevê o confisco de bens que são resultados de ações criminosas e produtos de delitos praticados.

Recursos em contas bancárias também foram confiscados por Moro

Além dos imóveis, uma quantia razoável em dinheiro que estava em contas bancárias do ex-ministro foi confiscada pelo juiz federal. Segundo reportagem publicada na Folha de São Paulo, 104 mil reais foram confiscados, além de outros 14 mil que estavam depositados na conta do irmão de Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva.

De acordo com a legislação vigente ainda caberá recurso judicial a defesa de Dirceu contra a sentença condenatória recebida nessa quinta-feira.

Condenação de José Dirceu foi a maior na história da Operação #Lava Jato

O ex-ministro já entrou para a história da Operação Lava Jato por receber a maior sentença em uma única condenação, na última quarta-feira (18) ele foi condenado a 23 anos e três meses de prisão por sua participação em crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e corrupção ativa.

Publicidade

A acusação de organização criminosa foi por sua participação no superfaturamento de contratos da empresa Engevix, construtora que prestava serviços a Petrobras.

Estima-se que o valor total das propinas recebidas pelo grupo político de José Dirceu chegue a casa dos incríveis 15 milhões de reais. #Polícia Federal