O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo comando das investigações da Operação #Lava Jato, fez um pronunciamento importante nessa segunda-feira (23) em um fórum elaborado e organizado por gestores da Revista Veja, em São Paulo.

Moro fez questão de abordar sobre diversos assuntos da atualidade, mas não quis se pronunciar sobre a principal notícia dessa segunda-feira, que foi o escândalo que envolveu a divulgação dos áudios, gravados em março, do ministro do Planejamento, Romero Jucá, nos quais ele tentar frear o andamento das investigações da Lava Jato.

“Não é apropriado eu falar disso, porque eu ainda não tenho completo conhecimento desse caso, mas posso afirmar que de forma nenhuma deve haver interferência do governo em assuntos tratados pela justiça”.

Publicidade
Publicidade

Moro afirmou que Temer deve mostrar transparência em combate à #Corrupção

Sérgio Moro não se esquivou quando o assunto foi a conduta que deve ser adotada pelo presidente interino Michel Temer. Segundo Moro, a conduta de Temer sobre assuntos relativos a corrupção deve ser de total transparência, e que a iniciativa privada também possui uma papel “fundamental” para que essa política de transparência vigore.

Ele também fez questão de ressaltar que o momento é oportuno para que medidas duradouras de combate a corrupção sejam tomadas.

“Minha expectativa é que haja, tanto na sociedade brasileira quanto nas instituições, um momento favorável e que todos aproveitem esse momento para incorporar políticas contra a corrupção sistêmica de uma maneira duradoura”.

Moro disse que Operação Lava Jato não deve ser vista como uma “´série de televisão”

Um dos presentes no fórum em que Moro discursava perguntou ao juiz se as ações da Operação Lava Jato perderam o ímpeto.

Publicidade

Moro respondeu de forma direta e enfática:

“As operações da Operação Lava Jato não são uma série de televisão”.

Moro explicou que os brasileiros devem ter um “repúdio generalizado” a corrupção e que a justiça deve ser imparcial e não ver apenas a corrupção existente no país “em termos político-partidários”.

No final de seu discurso, Moro afirmou que a opinião pública é importante mas que um juiz não deve seguir a opinião da maioria para julgar ou condenar e disse que nenhuma forma de corrupção é positiva.

“Não há corrupção positiva. Corrupção é corrupção", frisou. #Polícia Federal