Em março do corrente ano, foi divulgada uma gravação em que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), estava em conversa com o ex-presidente e líder petista, Lula. De acordo com rumores, tal fato evitou o prefeito de fazer comentários acerca do impeachment da presidente Dilma Rousseff, agora afastada.

Paes foi questionado sobre o processo, que passou na Câmara dos Deputados e também no Senado Federal, porém, o político preferiu não comentar sobre o caso. Aliás, ele prefere comentar acerca dos Jogos Olímpicos que estão para começar há menos de três meses com o presidente Michel Temer.

"Tomei uma decisão depois da gravação com o presidente Lula", disse Eduardo Paes em entrevista.

Publicidade
Publicidade

"Se perdeu a racionalidade. Prefiro não me manifestar. Cuido aqui do meu balneário, da minha lojinha. Deixo para vocês fazerem os comentários”, afirmou o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos 2016, em entrevista concedida ao repórter Ricardo Abreu, da GloboNews, enquanto fazia uma coletiva no estádio do Engenhão, nesta última quinta-feira, (12).

Paes prefere ‘deixar de lado’ o passado recente de proximidade com os líderes petistas para que possa ter certa ‘parceria’ com o governo federal interino, comandado por Michel Temer, vice de Dilma que rompeu com a petista. Tanto os organizadores do Evento quanto o próprio prefeito do Rio de Janeiro têm dado entrevistas onde mostram uma certa ‘porta aberta’ com relação ao novo governo federal, que, apesar de interino, já confirmou, através do próprio presidente Michel Temer, que estará fazendo tudo o que for possível para que esse seja o melhor Jogos Olímpicos da história.

Publicidade

Temer confirmou em entrevista que estará presente na abertura dos Jogos do Rio de Janeiro, dia 5 de agosto, e, também, afirmou que o seu governo não pensará duas vezes se a necessidade for investir ainda mais nas estruturas dos Jogos. Paes e Temer, de acordo com o G1, já conversaram acerca da Rio-2016 por telefone, e, segundo o portal, tal conversa aconteceu antes da confirmação do impeachment de Dilma. Na conversa, Temer havia prometido ao prefeito do Rio que o seu governo estaria dando continuidade ao apoio federal para a estrutura física dos Jogos. #Rio2016