O presidente interino #Michel Temer (PMDB), no cargo há exatamente uma semana, afirmou que pretende expor para o povo brasileiro o que chama de “herança maldita do governo Dilma”.

A decisão do peemedebista foi motivada devido a uma série de críticas que o governo provisório vem recebendo por parte de diversos setores da sociedade civil no país, sobretudo, da classe sindical e artística, e tem como objetivo principal rebater as opiniões favoráveis ao governo de #Dilma Rousseff (PT), afastada por 180 dias após votação no plenário do Senado Federal.

Michel Temer também falou em um “inventário de problemas” ao se referir a herança que o seu governo herdou do governo anterior afastado.

Publicidade
Publicidade

Segundo a assessoria do presidente interino, Temer deve fazer um esclarecimento público, previsto para ser realizado já no início da próxima semana, para informar a população dos graves erros cometidos pela gestão de Dilma Rousseff, o que teria levado o país para a grave crise econômica por qual passa há pouco mais de um ano. Com isso, o governo peemedebista tentará “acalmar” os ânimos da opinião pública contrária ao impeachment de Rousseff.

Dentre as consequências negativas na política econômica do país, geradas pelos erros de gestão do governo afastado que o governo provisório pretende expor para a população brasileira, estão: o rombo fiscal (o objetivo é mostrar a real dimensão do problema), o quadro de dificuldade econômica que atinge atualmente secretarias e pastas, além de enumerar a quantidade de despesas e gastos desnecessários, feitos sem receita, realizados pelo governo do PT, de forma ainda mais acentuada, nas semanas antes do afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Publicidade

Ainda de acordo com a assessoria do presidente interino, o mesmo aguarda o relatório analítico, encomendado a todos os ministérios do atual governo, até o final desta semana, para, com isso, o pronunciamento público de Michel Temer ser preparado para ser feito no final da mesma semana. Aliados de Temer têm chamado de “vacina pública” a resposta que o governo interino dará às críticas recebidas. A assessoria de Temer não informou como será feito o esclarecimento do peemedebista, mas tudo indica que deve ser por meio de gravação para televisão e rádio, por conta da importância que o governo interino tem dado para tal “resposta”.

“Temer quer ganhar apoio, pois recuperação econômica será lenta”, diz especialista

Para o economista Adriano Fonseca, estratégia do novo governo é ganhar o apoio da opinião pública para poder recuperar a economia do país sem muita pressão.

“Michel Temer quer ganhar apoio, pois recuperação econômica será lenta. O rombo nos cofres públicos do país é algo avassalador.

Publicidade

Não vai ser dá noite para o dia que os empregos vão voltar. O governo interino teme que a população não entenda a lentidão desse processo, o que poderia dar força novamente ao governo anterior. Muita gente está tratando Temer como o ‘salvador da pátria’, e as coisas não são bem assim, sobretudo, em economia, onde não existe mágica, mas sim, estratégia.”, alerta Fonseca.

“Será preciso cortar muitos gastos e investir de forma eficiente o pouco que se tem disponível. Na melhor das projeções, a população só deve começar a colher os frutos da recuperação econômica do país no final de 2017. Além de recuperar a economia, o governo de Michel Temer terá também que fazer o povo entender o atual e delicado cenário. Eis, então, o grande desafio dos peemedebistas.”, conclui o economista. #Crise-de-governo