As citações feitas pelo ex-senador do Partido dos Trabalhadores, Delcídio do Amaral (do Mato-Grosso do Sul), em sua recente delação premiada, envolvendo o nome do banqueiro André Esteves (que foi controlador do BTG) nos esquemas de corrupção da Petrobrás, batizado como “petrolão”, podem ser enviadas pelo Supremo Tribunal Federal ao juiz Sérgio Moro, líder da Operação #Lava Jato, em Curitiba (Paraná) a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O pedido foi realizado oficialmente na manhã de ontem, segunda-feira, 02 de maio, e visa a analise criteriosa por parte de Moro. Segundo publicação feita pelo jornal Folha de São Paulo, na madrugada desta terça-feira, 03, a PGR também quer que parte das menções, feitas por Delcídio na delação, seja incluída em inquéritos já em fase de tramitação no STF.

Publicidade
Publicidade

A solicitação da Procuradoria será avaliada pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, que também vai analisar o pedido de abertura de inquérito para investigação sobre a suposta participação de políticos importantes, também citados pelo ex-senador petista, no esquema do “petrolão”. Dentre eles estão: Dilma Rousseff, Lula, Aécio Neves e Eduardo Cunha. #Dilma Rousseff #Crise-de-governo