Manifestantes aproveitaram o feriado para realizar um ato na intenção de apoiar o deputado Jair Bolsonaro. Eles se reuniram em frente ao condomínio de Bolsonaro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

O dia 1º de maio é sempre marcante para os brasileiros por ser um feriado diferente, pois, ao invés de ficarem em casa descansando, as pessoas são convidadas a irem para as ruas protestar por maiores salários, melhores condições de trabalho e este ano, o "Dia do Trabalhador" teve um diferencial, pois acontece durante o processo de impeachment da Dilma Rousseff e, com isso, o país se dividiu em protestos prós e contra a saída da presidente, mas ninguém esperava que fosse realizado um ato específico para prestigiar o deputado federal tão criticado.

Publicidade
Publicidade

Bolsonaro fez questão de ir participar do ato e até discursou para os presentes, como forma de agradecimento. O ato geral revolta nas redes sociais porque, antes de começarem a manifestação, as pessoas gritaram o nome do coronel Brilhante Ustra, homenageado pelo deputado no dia da votação do impeachment de Dilma, na Câmara dos Deputados.

Ustra foi chefe do Destacamento de Operações de Informação - Centro de Operações de Defesa Interna, quando o Brasil vivia sob a ditadura militar. Em 2015, Ustra faleceu e sua história acabou sendo deixada de lado, assim como os atos que ele praticou contra muitos brasileiros.

Jair Bolsonaro trouxe o nome de Ustra de volta às conversas por todo o país, ao homenageá-lo no momento em que foi manifestar o seu voto, que foi a favor do impeachment.

Ustra foi um dos primeiros militares a ser reconhecido como um torturador na ditadura, por isso Bolsonaro foi tão criticado.

Publicidade

Semana passada o movimento Levante Popular esteve na frente do condomínio onde mora o deputado, onde foi realizado um protesto condenando a homenagem ao torturador e justamente na Câmara dos Deputados.

Hoje, o ato foi para homenagear Bolsonaro que fez questão de mais uma vez exaltar Ustra e até elogiou Emílio Garrastazu Médici, presidente militar. A ocasião também serviu para manifestar seu voto a favor do impeachment e criticar a presidente afirmando: "Lula e Dilma não fizeram nada para o Brasil nos últimos 13 anos".

Além da manifestação na porta da residência de Jair Bolsonaro, os atos a favor do deputado foram realizados em vários outros estados. #Corrupção #Protestos no Brasil #Crise-de-governo