Após uma primeira semana tensa de #Governo para Michel Temer, o presidente interino do Brasil deve voltar atrás em uma de suas principais decisões já na próxima segunda-feira, 23.

Conforme Reinaldo Azevedo informou com exclusividade em seu blog, #Michel Temer teria conversado com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e negociado o pagamento da dívida do Ministério da Cultura, que atualmente chega a quase R$ 250 milhões.

Ainda segundo o colunista, o pagamento pode ter sido parcelado em até cinco vezes e o anúncio do retorno do MinC deve estar programado para a próxima segunda-feira, 23.

Mesmo que as informações de Reinaldo se concretizem, é importante lembrar que essa semana uma onda de protestos contra o fim do MinC marcou o país, na qual artistas ocuparam prédios vinculados ao Ministério da Cultura por tempo indeterminado.

Publicidade
Publicidade

Em Minas Gerais, manifestantes que tomaram o prédio da Funarte disseram que mesmo que o MinC retorne durante os protestos, o grupo permanecerá nas dependências do prédio, pois a luta é para trazer a presidente afastada de volta ao cargo. Com o apoio de páginas esquerdistas no Facebook, os manifestantes divulgam fotos da ocupação ao longo do dia.

Já quanto à postura de Temer, um novo momento tenso pode tomar conta da política para o interino, pois se por um lado um grupo irá se satisfazer com a volta do ministério, por outro, a grande maioria dos que apoiaram o impeachment ficarão insatisfeitos.

Muitos famosos manifestaram apoio ao fim do MinC, bem como o ministro da educação, que esclareceu que a pauta não seria extinta, uma vez que a cultura é secretaria integrante da educação brasileira e que o temor de algumas pessoas era desnecessário.

Publicidade

Alguns políticos, como o deputado federal Marco Feliciano e o senador Magno Malta se posicionaram a favor do fim do órgão e ironizaram o desespero de alguns famosos. Marco chegou a orientar que eles se dirigissem ao Ministério do Trabalho.

Você concorda com a volta do Ministério da Cultura, após uma semana da extinção da pasta? Comente.