#Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados e alvo de denúncias por recebimento de propina da Petrobras e contas suspeitas no exterior, deu uma entrevista dizendo que o processo de sua cassação tem que ser anulado. Cunha criticou o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), de querer, de todas as formas, se utilizar do seu processo para aparecer na TV. O peemedebista diz que Araújo tem o intuito apenas de aparecer na mídia, por isso, quanto mais tempo demore seu processo, para Araújo é perfeito. Araújo, afirma Cunha, era ladrão de toca-fitas na adolescência e não está sabendo conduzir o processo, que em sua visão, será anulado.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o presidente da Câmara, tentam transformá-lo como chefe do Petrolão, o que é totalmente errado na sua concepção. Cunha ressalta que ninguém tem provas de sua participação nos atos de corrupção em que é processado.

Crimes

O #PT está sendo investigado por um emaranhado de crimes e o partido ainda age como se nenhum desses crimes tivesse relação com eles, falou Cunha. Eduardo Cunha foi chamado de "ladrão", "golpista", "canalha" por vários parlamentares no dia da votação do impeachment para afastamento da presidente Dilma Rousseff, mas revelou que chegou em casa e dormiu tranquilamente, pois, conforme afirmoi, o PT não tem moral para falar de ninguém, é uma grande "organização criminosa" que está no poder.

O governo Temer

O presidente da Câmara dos Deputados falou também a respeito do eventual governo de #Michel Temer.

Publicidade

O Congresso, segundo Cunha, não é empregado de nenhum partido e tem independência em suas conclusões e será assim também com Michel Temer. Cunha acredita que Temer fará uma união em que todos participarão dos processos decisórios e não como o PT fazia, onde eles exigiam e esperavam um "amém" dos deputados, isso é inaceitável, completou o peemedebista. Poderá ocorrer enfrentamento com o Temer todos os dias, caso não ocorra acordos nas medidas propostas. Concluindo, Cunha afirmou que Michel Temer tem condições de realizar um governo melhor que o PT, devido a sua credibilidade e experiência.