A ex-senadora #Marina Silva (da Rede Solidariedade), que concorreu à presidência da República nas últimas eleições, em 2014, está em Porto Alegre, onde participa de evento com correligionários. Ela concedeu entrevista para jornalistas no dia de ontem, 27 de maio, quando voltou a opinar sobre o atual momento da política brasileira.

Segundo palavras de Marina, a gravação vazada no início da semana, que culminou com o afastamento do ministro interino do Planejamento, Romero Jucá (PMDB), comprova que, tanto o PT, como também os peemedebistas, convergem para o “arrefecimento” da Operação Lava Jato.

Marina Silva aproveitou a oportunidade para voltar a defender tese de que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) precisa anular a chapa Dilma-Temer, que venceu as eleições em 2014, com 54 milhões de votos, pelo fato de que as investigações da Lava Jato já evidenciaram que a referida chapa recebeu dinheiro fraudulento do esquema de corrupção envolvendo a Petrobrás, batizado como “petrolão”.

Publicidade
Publicidade

 

Apesar de defender a realização de novas eleições presidenciais, ainda em 2016, Marina não confirmou para os jornalistas presentes se voltará a disputar o cargo para comandar o país no Palácio do Planalto, em Brasília. #Crise no Brasil #Crise-de-governo