Na tarde dessa terça-feira (03) foi encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal) pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, um pedido para que sejam incluídos novos políticos no inquérito da maior operação de combate a #Corrupção já feita no país, a Operação #Lava Jato, dessa vez, o nome do ex-presidente, Luiz Inácio #Lula da Silva e de muitos outros políticos, doleiros, empresários foram anexados ao inquérito.

Além de Lula, outros 30 nomes foram incluídos no inquérito, que poderá ser investigado na maior corte judicial do país. Todos os nomes desse novo inquérito foram citados na delação premiada do ex-líder do PT no Senado, Delcídio do Amaral.

Publicidade
Publicidade

Entre os 30 nomes estão ex-ministros e atuais como: Erenice Guerra, Antonio Palocci, Ricardo Berzoini e Edinho Silva, doleiros, empresários, banqueiros, lobistas, ex-deputados, senadores e prefeitos e de Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, nomes esses, que somente integrarão a investigação no STF, caso seja aprovado o pedido que a partir de agora, será analisado pelo ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.

Pedido de inquérito de Janot ao STF visa que sejam analisados crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha

O procurador Geral da República, Rodrigo Janot, instaurou o atual inquérito a partir de março do ano passado e em seu conteúdo, constam acusações de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha.

O próprio Janot, já declarou que “uma organização criminosa” atuava dentro e fora da Petrobras visando o desvio de recursos e verbas da maior empresa estatal do país e confirmou que o esquema atuava com supervisão de Lula.

Publicidade

“Jamais uma organização criminosa poderia ter atuado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que dela participasse, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.

Caso seja aceito por Teori Zavascki, os nomes que constam nesse novo pedido, o inquérito da Operação Lava Jato no Supremo contará com 69 nomes, atualmente constam 39 nomes no STF.