A senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), foi diagnosticada com um princípio de AVC e mesmo assim foi ao Senado votar. Ela votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff e sem condições de falar, solicitou ao presidente da casa, Renan Calheiros, que fizesse a leitura de sua carta, declarando seu voto. Ela precisou ir de cadeira de rodas por não ter condições físicas de caminhar e estava também com grande dificuldade para falar.

Chegando ao Senado, Rose de Freitas ainda levou uma bronca dos colegas que não gostaram de vê-la se sacrificando tanto assim e uma colega de partido chegou a dizer: "Pare de pensar em Temer, pense mais em você".

Publicidade
Publicidade

No dia 6 de maio a senadora se sentiu muito mal em plena sessão da Comissão Especial do #Impeachment e precisou ser imediatamente atendida, sendo que o médico só deu alta a ela no domingo, dia 8, quando ela recebeu o diagnóstico de "Ataque Isquêmico Transitório", um princípio de Acidente Vascular Cerebral. Ela tinha ido para São Paulo onde deu início a uma série de exames, mas fez questão de viajar até Brasília nesta quarta-feira somente para votar a favor do processo de impeachment de #Dilma Rousseff.

A assessoria da senadora informou que a senadora estava passando bem e todos os exames neurológicos não apresentaram nenhum déficit motor ou sensitivo.

No dia 6 de maio, quando se sentiu mal e precisou deixar o Senado, Rose fez questão de deixar o seu voto confirmado e assim ela escreveu: "Voto pela admissibilidade para a continuidade do processo de impeachment ressaltando que a conduta política e administrativa do governo agravou a crise econômica e política do Brasil."

A senadora esteve internada no hospital Sírio-Libanês onde passou por uma série de exames, inclusive alguns bem mais específicos, entretanto seu tratamento foi interrompido temporariamente para que ela pudesse viajar até Brasília para participar da votação do impeachment de Dilma.

Publicidade

Na manhã desta quinta-feira (12), o presidente do Senado confirmou que por 55 votos a favor, Dilma é afastada por até 180 dias da presidência do país e assim Rose de Freitas dará continuidade ao seu tratamento em São Paulo #Senado Federal