Marcada para a próxima quarta-feira, 11, a sessão plenária no #Senado Federal que avaliará o processo de #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff poderá durar cerca de 20 horas, segundo informações da Secretaria-Geral da Mesa. Cada senador, segundo o regimento da Casa, terá 15 minutos para apresentar seu discurso. Ao todo, são 81 senadores, mas o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) não votará.

De qualquer forma, somando apenas o tempo estimado de discurso para cada um dos 80 senadores, o espaço da sessão ultrapassa 20 horas decorridas. Neste caso, é possível que a votação invada a madrugada de quarta para quinta-feira.

Publicidade
Publicidade

Outro fator que deixa instável a duração é a possibilidade dos senadores solicitarem questões de ordem durante a votação.

Por outro lado, ainda não está decidido se a defesa e a acusação da denúncia de impeachment terão mais meia hora para apresentarem suas justificativas. A acusação ficaria a cargo dos juristas Miguel Reale Jr, Hélio Bicudo e Janaína Paschoal, autores da denúncia. A defesa da presidente Dilma tem sido feita pela Advocacia-Geral da União (AGU), liderada pelo ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.

A votação será aberta e nominal, e todos poderão saber como cada um dos senadores votou. Para que o parecer seja validado, são necessários 41 votos, formando maioria simples. Neste cenário, que é apontado como o mais provável, Dilma seria afastada da presidência por 180 dias, dando lugar ao vice-presidente Michel Temer, do PMDB.

Publicidade