Essa quinta-feira, 5, começou bastante agitada no mundo da política, com grande repercussão em todo o Brasil e também na imprensa internacional, afinal, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, determinou o afastamento de Eduardo Cunha do cargo de deputado federal e, consequentemente, da função de presidente da Câmara dos Deputados.

A notificação do seu afastamento foi entregue por oficiais de justiça ao deputado hoje pela manhã, em sua residência em Brasília. Apesar de ser afastado do cargo de deputado e das funções da presidência da Câmera, Cunha continua com foro privilegiado, uma vez que mantém os direitos parlamentares.

Publicidade
Publicidade

O ministro Teori Zavascki, que é também relator da Lava Jato, em sua decisão cita que tal medida, de afastamento do mandato de Eduardo Cunha, tem como objetivo neutralizar os riscos apontados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Rodrigo Janot entrou com pedido de afastamento de Eduardo Cunha ainda em dezembro de 2015, no qual o procurador-geral indiciou motivos para atestar que Cunha utilizou-se do cargo de deputado para "destruir provas, pressionar testemunhas, intimidar vítimas ou obstruir as investigações de qualquer modo".

Ainda sobre o assunto, confira os 11 motivos para que Eduardo Cunha seja afastado da Câmara dos Deputados, segundo a PGR (Procuradoria-Geral da República).

Com a saída de Cunha, quem assume a presidência da casa é o 1º vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA).

Publicidade

Denúncias na Lava Jato

Cunha acabou tornando-se réu no Supremo Tribunal Federal (STF) de forma unanime, com a acusação de fazer parte do esquema de #Corrupção da Petrobras, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

No âmbito da investigação da Lava Jato, o deputado Eduardo Cunha é objeto de investigação de outra denúncia. Além disso, de outros três inquéritos já abertos na Corte,  e outros três que aguardam aprovação do Ministro Teori Zavascki para que sejam abertos.

Recentemente, em depoimento, o lobista Fernando Baiano afirmou ter entregue um quantia milionária relacionada a propina para o deputado Eduardo Cunha.